25 de janeiro de 1915, Um aniversário de Virginia Woolf

FrasesVirginia Woolf

Hoje, 25 de janeiro, comemoramos o nascimento de Virginia Woolf. Aproveitei para procurar no diário dela algum registro de um dia de aniversário, encontrei: é a data 25 de janeiro de 1915. Deleitem-se:

O dia dos meus anos – e deixa-me contar todas as coisas que recebi. O Leonard tinha jurado que não ia dar nada, e eu, como boa esposa, acreditei. Mas ele veio sorrateiro meter-se na minha cama com um embrulhinho que era uma linda bolsa verde. E trouxe o café da manhã ao quarto, com um jornal que anunciava uma vitória naval (afundamos um barco de guerra alemão) e um embrulho quadrado de papel pardo com The Abbott* – uma linda primeira edição… De modo que para mim a manhã foi muito alegre e agradável – e realmente só foi superada pela tarde. Foi então que me levaram à cidade, de graça, e foram comigo primeiro a um cinema e depois ao Buszard’s*. Acho que há dez anos não tinha uma festa de aniversário; e esta tinha esse sabor a festa de aniversário também – um dia bonito, de geada, tudo vivo e alegre, como deve ser, mas nunca acontece. O cinema foi em parte uma decepção, porque não assistimos aos filmes da guerra depois de termos esperado durante uma hora e meia. Mas, em compensação, apanhamos o trem no último minuto e tenho estado muito feliz ao ler Pope* do pai que é muito espirituoso e inteligente – sem uma única frase mortiça. Com efeito, não me lembro de ter assim tanto prazer com o dia do meu aniversário – a não ser quando criança, pelo menos. Durante o chá decidimos três coisas: em primeiro lugar, ficar com a Hogarth*, se nos for possível; em segundo lugar, comprar uma impressora; em terceiro lugar, compra um buldogue, provavelmente chamado John. Estou num grande alvoroço com a perspectiva de todas estas coisas – em particular a editora. Também me deram um embrulho de doces para trazer para a casa.

Virginia Woolf. Diário. Volume I, tradução de Maria José Jorge. Bertrand de Portugal. p. 44

*
The Abbott: romance de Sir Walter Scott
Buszard’s: (casa de chá)
Pope: romance de Leslie Sthepen, pai de Virginia Woolf
Hogarth: editora Hogarth Press, que os Woolfs compraram


Criou o Livro&Café em 2011, é professora de Língua Portuguesa, adora ler e trabalhar com mediação de leitura. Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.