[SORTEIO] Descobrindo o Islã no Brasil (Karla Lima)

Em tempos que a cultura, política e religião islâmica geram tantas controvérsias e compreensões diferentes, o livro Descobrindo o Islã no Brasil (Karla Lima) chega em boa hora.

DESCOBRINDO_O_ISLA_NO_BRASIL_livroRecentemente, a autora escreveu um artigo sobre o assunto, que também é um convite para ler o seu livro. Confira:

“O Islã é a religião que mais cresce no mundo” afirmam, orgulhosos, os muçulmanos. “O Islã é a religião que mais cresce no mundo” exclamam, assustados, os que nela só enxergam violência. “O Islã é mesmo a religião que mais cresce no mundo?”, perguntei-me – e também: Quem disse? Cresce quanto? Cresce onde? E cresce por quê? Afinal, do que estamos falando quando falamos em Islã?

Doutrinariamente, estamos falando de onze itens, dos quais cinco são práticas (proclamação, oração, caridade, jejum, peregrinação) e seis são crenças (no Deus único, nos anjos, nas escrituras sagradas, nos profetas, na vida eterna, na predestinação).

Historicamente, estamos falando de uma religião que tirou do primeiro filho do sexo masculino o recebimento integral da herança, que desde o surgimento permitiu às mulheres terem propriedades em seu nome, que proibiu o infanticídio de meninas e que considera a realização sexual feminina como direito conjugal.

Contemporaneamente, estamos falando de uma crença muito comentada e pouco compreendida, que não sai dos noticiários e não entra na cabeça de muita gente, uma crença sequestrada por extremistas que nos apavoram e que fazem de nós, também, radicais: na rejeição que tantas vezes demonstramos.

Jornalisticamente, fui a campo investigar quem são os muçulmanos no país: brasileiros e estrangeiros, sunitas e xiitas, observantes e nem tanto. Entrevistei uma inspetora de alunos que, antes de se converter e casar com um egípcio, era freira franciscana; conheci um muçulmano palestino que é psicólogo de profissão e nas horas vagas faz trabalho voluntário em um centro espírita, e outro que teve um filho com uma católica antes do casamento. Conversei com dois xeiques, um juiz federal, uma cristã que mora na capital da Arábia Saudita e com uma adolescente que vai de véu ao parque de diversões, apesar dos gritos de “olha a mulher bomba” com que a tolerante juventude nacional a brinda, toda vez.

Pessoalmente, saí às ruas para desvendar. Passei uma semana usando em público exclusivamente trajes islâmicos. Atraí olhares piedosos e amedrontados, mas também sorrisos de aprovação; falaram-me com muito respeito e muitas dúvidas, recebi reprimenda de gente próxima e admiração de desconhecidos. Passei vontade, passei medo, passei calor. Senti na pele o desconforto de estar muito visível e ser pouco enxergada.

Eis o resultado do que descobri.

Sorteio: Descobrindo o Islã no Brasil (Karla Lima)

Em parcercia com a Karla Lima, você pode ganhar 1 exemplar do livro com dedicatória da autora. Basta seguir as instruções abaixo:

Quem ganhou o livro foi a Franceline Naiane de Freitas Silva. Um e-mail foi enviado a ela com as instruções.

Se ainda tem dúvidas sobre o livro, leia a sinopse no site da Editora Hedra e um trecho do livro.


Francine Ramos

Criou o Livro&Café em 2011, é professora de Língua Portuguesa, adora ler e trabalhar com mediação de leitura. Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

2 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Primeiramente, Fora Temer!

Livro&Café é feito por Francine Ramos, desde 2011.

“Livros, o precioso sangue dos espíritos imortais” Virginia Woolf