16 livros sobre Cinema que você precisa conhecer

Listas

“O cinema não tem fronteiras nem limites.
É um fluxo constante de sonho.”
(Orson Welles)

Cinema, aquela arte que todo mundo conhece e adora dar pitacos! Aos pitaqueiros de plantão, fiz essa lista com 16 livros sobre cinema que você precisa ler. se não for ler, pode continuar a dar pitacos. Adoramos! 😉

O Cinema do Real (Amir Labaki e Maria Dora)

O livro: “O cinema do real , publicado originalmente em 2005, discute as principais questões levantadas pelo É tudo verdade – Festival Internacional de Documentários, importante evento cinematográfico do eixo Rio- São Paulo. Na primeira parte, o livro aborda a questão formal, contrapondo a recente produção em câmera digital ao histórico analógico; e  a produção latino-americana. Na segunda parte, há ensaios de diretores, que, entre outros, discutem a relação entre ficção e documentário.” Compre na Amazon

Ismos – Para Entender o Cinema (Ronald Bergan)

O livro: “Existem muitas formas de se estudar a chamada sétima arte. Aqui, ela é analisada sob o prisma de seus variados ismos, e não segundo a classificação mais tradicional, por gêneros. Dentro dessa perspectiva mais ampla, o autor – o jornalista Ronal Bergan – classificou alguns dos maiores filmes da história de acordo com os principais movimentos que delinearam a trajetória do cinema, desde as pioneiras experiências dos irmãos Lumière e de Georges Méliès. Sem pretensão de ser um ranking do tipo “cem melhores filmes”, o livro busca abarcar, com seus 51 ismos, a diversidade da produção cinematográfica internacional.” Livo difícil de achar… mas vale a pena visitar os sebos de sua cidade, vai que você está com sorte!

Conversas com Woddy Allen (Eric Lax)

O livro: “O biógrafo de Woody Allen, Eric Lax, reuniu quase 40 anos de conversas com o cineasta em Conversas com Woody Allen. Allen fala sobre a elaboração de roteiros, formação de elenco e representação, filmagem e direção, montagem e escolha da música. Ou seja, todo o processo cinematográfico é contemplado nas reflexões do grande cineasta. Além de saciar a curiosidade dos fãs de Allen, que faz comentários por vezes hilariantes, a obra é de leitura obrigatória para os cinéfilos.” Compre na Amazon

A Utopia no Cinema Brasileiro (Lucia Nagib)

O livro: “Neste livro, a renomada pesquisadora e professora Lúcia Nagib lança seu olhar crítico sobre o cinema brasileiro da década de 1990, enfocando a continuidade e as transformações das visões utópicas num período que se caracterizou pelo anúncio do fim das utopias. A autora se debruça sobre os filmes de ficção e propõe a discussão sobre as possibilidades do cinema ficcional como revelador do processo histórico do país, analisando filmes de diretores como Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos, Walter Salles, Toni Venturi, Beto Brant, Rosemberg Cariry, Bia Lessa e Fernando Meirelles, entre outros.” Compre na Amazon

História do Cinema (Mark Cousins)

O livro: “Do cinema mudo, passando pela engenhosidade do cinema sonoro, até as incríveis inovações da era digital, Mark Cousins apresenta um panorama completo e acessível da história do cinema mundial. Nela são desveladas as técnicas, aspirações e invenções de cada época, em diferentes países e por diversos cineastas que sonharam, imaginaram e trabalharam para que sua mensagem e sua estética fossem transmitidas a um público cada vez mais admirado pela sétima arte e pela rica história que ela comporta.” Compre na Amazon

O Ornamento da Massa (Siegfried Kracauer)

O livro: “Pensador de relevância comparada à de Theodor Adorno ou Walter Benjamin, embora menos conhecido que esses seus colegas, Siegfried Kracauer escreveu, durante a década de 1920, vários artigos para o prestigioso jornal alemão Frankfurter Zeitung, onde era editor. O ornamento da massa reúne alguns desses textos, que versam sobre cinema, dança, fotografia, viagem, cidades e best-sellers, entre outros assuntos.” Compre na Amazon

Chaplin – Uma Biografia Definitiva (David Robinson)

O livro: O maior ícone da história do cinema, Charlie Chaplin, viveu uma das mais dramáticas jornadas da pobreza à fama. Sua vida foi marcada por contrastes extraordinários: a criança de um bairro pobre de Londres que se tornou multimilionário; o palhaço cinematográfico que era um perfeccionista compulsivo por trás das câmeras; o astro bajulado que caiu publicamente em desgraça após escândalos pessoais e políticos. Esta biografia, definitiva e atraente, é a única a ter tido acesso irrestrito aos arquivos de Chaplin. Compre na Amazon

O Século do Cinema (Glauber Rocha)

O livro: Os textos compõem vastos painéis que passam em revista o cinema americano, (“Hollywood”), o italiano (“Neorrealismo”, onde cabem alguns cineastas rebelados, como Eisenstein e Buñuel) e francês (“Nouvelle vague”). O livro inclui prefácio iluminador de Ismail Xavier, além de fortuna crítica com textos de Orlando Senna, Rogério Sganzerla, Paulo Leminski, José Carlos Avellar e Pedro Karp Vasquez, e ainda uma entrevista ao crítico português João Lopes, concedida em 1981. Está esgotado nas livrarias, mas você poe achar em algum sebo…

Hitchcock/ Truffaut – Entrevistas (François Truffaut)

O livro: “Nesta aula de cinema, François Truffaut, um dos mestres da nouvelle vague, entrevista longamente o mestre do suspense Alfred Hitchcock, diretor de Janela indiscreta, Psicose, Um corpo que cai, entre outros. Durante as décadas de 50 e 60, quando François Truffaut idealizou e realizou a série de entrevistas que resultariam neste livro, Alfred Hitchcock (1899-1980) era visto – sobretudo nos Estados Unidos – como um cineasta mediano e comercial. No entanto, para Truffaut – e para os jovens diretores e críticos franceses da revista Cahiers du Cinéma -, Hitchcock estava entre os maiores cineastas de todos os tempos, ao lado de nomes como Jean Renoir, Federico Fellini, Ingmar Bergman e Luis Buñuel.” Compre na Amazon

Manoel de Oliveira (vários autores)

O livro: O livro se fundamenta em uma abrangente entrevista do mais importante diretor do cinema português, atualmente com 101 anos de idade, concedida em 2004 ao organizador da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Leon Cakoff. Expõe-se aí sua filosofia de cinema e de vida, em um surpreendente testemunho sobre arte e estética. Complementam o volume ensaios do pesquisador João Bénard da Costa, atual diretor da Cinemateca Portuguesa, sobre o aspecto feminino em filmes centrais na obra do diretor; do crítico brasileiro Inácio Araújo e da professora Leyla Perrone-Moisés. Compre na Amazon

Conversas Com Kubrick (Michel Ciment)

O livro: “Este livro reúne as famosas entrevistas de Kubrick realizadas por Michel Ciment, informações sobre os profissionais que trabalharam com o diretor, como roteiristas, diretores de arte, montadores, etc., além de making of, fotos de cena e filmografia completa. Com prefácio do cineasta Martin Scorsese, trata-se de uma leitura obrigatória para cinéfilos e amantes da obra desse artista genial.” Compre na Amazon

Cinefelia (Antoine Baecque)

O livro: Experiência íntima e ritual coletivo ao mesmo tempo, a cinefilia angariou muitos adeptos. Não se tratava apenas de ver os filmes, mas de discuti-los e situá-los numa história das formas artísticas. A partir de personalidades como Godard, Truffaut, Chabrol, Rivette e Bazin, e dos debates da nouvelle vague, o autor refaz o percurso dos anos 1940 a 1960, abordando as principais publicações dedicadas à crítica de cinema, como os Cahiers du cinéma e Positif. O livro mostra como a cinefilia conquistou seu lugar na história cultural do século XX ao inventar uma forma de ver e compreender o mundo através do cinema. Compre na Amazon

Como a Geração Sexo-Drogas-e-Rock’n’Roll Salvou Hollywood (Peter Biskind)

O livro: Francis Ford Coppola, Martin Scorsese, George Lucas, Steven Spielberg, Robert Altman – eles fazem parte da geração de cineastas que reescreveu o script da Hollywood dos anos 70, com filmes como Bonnie e Clyde, Sem Destino, O Poderoso Chefão, A Última Sessão de Cinema e Taxi Driver, clássicos modernos que revolucionaram a maneira de conceber, produzir e fazer filmes. Em Como a geração sexo-drogas-e-rock n roll salvou Hollywood, Peter Biskind recria aquela “década dos diretores”, um dos períodos mais excitantes da história do cinema, que tem início com o lançamento de Sem Destino, no final da década de 60, e termina com Touro Indomável e uma Beverly Hills marcada pelo consumo de cocaína, já nos anos 80. Compre o ebook na Amazon

A Linguagem Secreta do Cinema (por Jean – Claude Carrière e Fernando Albagli)

O livro: A linguagem secreta do cinema é uma das mais importantes reflexões sobre a linguagem cinematográfica e sua evolução. Ângulo, câmera, iluminação, cenário, elenco e técnica são alguns dos temas abordados neste livro. Além disso, o autor explica como os filmes alteraram nossa percepção do tempo e como o cinema ajudou a desenvolver a mídia visual. Obras de grandes nomes como Kurosawa, Welles, Godard, Buñuel, Hitchcock e Fellini são analisadas sob o olhar experiente de Jean-Claude Carrière, um dos maiores roteiristas europeus. Compre na Amazon

Pensar o Cinema (por Vários Autores)

O livro: Os ensaios deste livro apresentam reflexões sobre cinema, ética e filosofia. Excedem, assim, o fenômeno cinematográfico particular e inserem-se em uma questão mais ampla, a do papel das imagens em nossa cultura, que podem representar, interrogar e produzir história. Os textos de filósofos, cineastas e
críticos como Alain Badiou, Vilém Flusser, Jacques Rancière, Harun Farocki e Gustavo Aprea, ocupam-se de temas como a relação do pensamento filosófico com a criação cinematográfica, a memória visual do genocídio, a relação entre imagem, avanço científico e maquinário bélico, entre outros. Compre na Amazon

Os Últimos Anos de Marilyn Monroe (Keith Badman)

O livro: “Uma das maiores lendas do cinema, Marilyn Monroe faleceu de uma overdose de remédios em 1962, aos 36 anos. Acidente ou suicídio? Ninguém sabe o real motivo que a teria levado à morte. Seria o reflexo de uma existência conturbada, sem a presença dos p ais, de seus tumultuados relacionamentos amorosos – Marilyn foi casada três vezes e teve diversos casos conhecidos – ou do sentimento de solidão que era sua companhia quase permanente? Marilyn não teria aguentado a pressão da fama? Ou achava que estava envelhecendo? Durante cinco anos, Keith Badman, além de ouvir relatos de amigos e pessoas próximas a Marilyn, vasculhou documentos, recibos, faturas e arquivos, que revelam detalhes até então nebulosos dos últimos momentos da vida da atriz.” Compre na Amazon

Fã de David Foster Wallace e Italo Calvino, perde horas assistindo séries na Netflix, gosta de sorvete de amendoim e ouvir The Strokes aos domingos de manhã.
1

Comentários

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.