10 escritoras colombianas que você precisa ler

A literatura escrita por mulheres precisa, constantemente, ser lembrada, por conta da grande diferença de publicaçao realizada pelo mercado editorial. Abaixo, então, listamos 10 escritoras colombianas que você precisa ler, porque é incrível e também porque é importante conhecer nossa vizinhança 😉

1. Angela Becerra

Nasceu na Colômbia em 17 de julho de 1957. Escreveu seu primeiro livro em 2001 e ganhou prêmios literários importantes em seu país. Hoje vive e Barcelona e também escreve para um jornal. Suas obras traduzidas no Brasil são: Penúltimo Sonho e O que falta ao tempo.

Albalucía Ángel

2. Albalucía Ángel

A escritora nasceu na Colômbia em 1939. Dizem que sua obra possui um estilo próprio eque aborda temas importantes, como a relação entre a ficção e a realidade, a história da Colômbia e também o feminismo. Você encontra algumas de suas obras (em espanhol) na Amazon.

María Teresa Ramírez Neiva

3. María Teresa Ramírez Neiva

María Teresa Ramírez Neiva nasceu em 1944, é poeta e considerada, por seu estilo, “o furacão da poesia”. O seu primeiro livro foi publicado em 1988. A religiosidade e a cultura negra fazem parte de suas abordagens. No Brasil, a autora não foi publicada, mas você pode conferir alguns de seus trabalhos aqui.

4. Laura Restrepo

Laura Restropo possui diversos livros traduzidos no Brasil. Além dos livros, a autora é formada em Filosofia e em Ciências Políticas. Suas obras abordam temas importantes, como o narcotráfico colombiano, política, ditadura etc. Alguns de seus livros disponíveis em língua portuguesa, na Amazon: Delírio, Heróis Demais e  A Noiva Escura.

5. Piedad Bonnett

Poeta, professora, crítica literária e dramaturga colombiana. A escritora aborda temas sensíveis, como o suicídio, em suas obras.  Ela não possui livros traduzidos no Brasil, mas na Amazon você encontra alguns títulos em espanhol: Poesía Reunida e Después de todo.

Soledad Acosta de Samper

6. Soledad Acosta de Samper

Soledad Acosta de Samper (1833 – 1913) foi uma escritora com grande produção literária e também se destacou como editora. A escritora é considerada uma pioneira do feminismo no país, pois dedicou-se a inúmeros estudos sobre o tema.  Livro disponível na Amazon: La mujer en la sociedad moderna

Mary Grueso Romero

7. Mary Grueso Romero

A escritora nasceu em 1947, é professora de literatura e escreve poesias e prosas. Recentemente, foi homenageada com o título de excelência poética feminina e faz parte da obra “Antología de mujeres poetas afrocolombianas”, publicada em 2010. Não há livros dela publicados no Brasil, mas é possível conhecer um pouco do trabalho dela no YouTube A escritora é considerada a precursora “para uma nova geração de mulheres literárias para honrar as práticas culturais e os costumes ancestrales do Pacífico.”

8. María Mercedez Carranza

Carranza (1945 -2003) foi uma poeta colombiana de muito prestígio em seu país por colaborar com a divulgação e produção de poesia, fazendo parte de recitais, oficinas, prêmios e revistas especializadas. Em sua obra, destaca-se a ironia e também o humor. Os críticos de seus país afirmam que María teve grande importância por mostrar como é a mulher colombiana do século XX. No Brasil, há uma coletânea de suas poesias publicada pela editora “Sibila Editorial”.

9. Ana María Martínez de Nisser

Ana María Martínez de Nisser nasceu em Medellín em 1812 e faleceu em 1812. A escritora, considerada uma heroína em seu país, escrveu um diário sobre a situação política de sua época, chamado de “Diario de los sucesos dela Revolución enla Provincia de Antioquia en los años de 1840-1841″. A escritora participou de batalhas com o seu marido e também com o seu pai. O seu livro, sobre a revolução na província de Antioquia nos anos 1840 e 41, publicado em Bogotá em 1843, provavelmente, é o primeiro livro publicado por uma colombiana.

10. Ema Reyes

A princípio, pintora, mas as suas correspondências, que vieram a público após a sua morte, revelaram uma grande escritora. Ema Reyes. No livro, “Memória por Correspondência”, lançado pela Cmpanhia das Letras, é informado que “em 23 cartas enviadas entre 1969 e 1997 a seu amigo e confidente Germán Arciniegas, a artista plástica Emma Reyes relata as adversidades que viveu durante sua infância na Colômbia. Emma era filha ilegítima e, nesta autobiografia epistolar, conta desde suas lembranças mais antigas até o momento em que deixou o convento onde passou sua juventude, sem ao menos saber ler. Estes textos não só expõem um belíssimo relato pessoal, mas também descrevem o contexto da sociedade colombiana na década de 1930. Emma Reyes foi vítima de uma sociedade hipócrita e do mundo sombrio das comunidades religiosas, mas isso não impediu que ela construísse uma reconhecida carreira artística na França quando adulta. 



Camila Martins

Fã de David Foster Wallace e Italo Calvino, perde horas assistindo séries na Netflix, gosta de sorvete de amendoim e ouvir The Strokes aos domingos de manhã. Colabora no Livro&Café desde janeiro/2017.

2 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published.