5 livros incríveis de Raquel de Queiroz. Leia urgente!

“Os homens que se precavenham. O mulherio começou a entrar na Academia [ABL]. A fila é grande.”
Rachel de Queiroz.

Raquel de Queiroz (1910-2003) é uma escritora que mora no meu coração. As minhas primeiras referências literárias que aprendi levam o seu nome, portanto, quero dividir com vocês minhas melhores lembranças com essa escritora cearense tão maravilhosa, que foi a primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras (1977) e também a primeira mulher a ser agraciada com o Prêmio Camões (1993). É muito tiro!

1. O Quinze (romance)

O primeiro e também mais conhecido romance da escritora, foi publicado em 1930 e faz referência à grande seca de 1915, vivida pela própria escritora em sua infância. O que mais me marcou nesse livro é que a personagem Conceição é uma mulher que adora ler e também transmite aos leitores alguns ideias feministas. Da sinopse: “Ao narrar as histórias de Conceição, Vicente e a saga do vaqueiro Chico Bento e sua família, Rachel expõe de maneira única e original o drama causado pela história seca de 1915, que assolou o Nordeste brasileiro, sem perder de vista os dilemas humanos universais, que fazem desse livro um clássico de nossa literatura.Compre na Amazon

2. As três Marias

Percebam que Raquel gosta de nome Maria em seus romances! rs Esse aqui também é muito amorzinho porque me ensinou sobre o papel da mulher na sociedade. Com seu estilo simples, mas tão profundo, Raquel faz iluminar mais coisas na cabeça da gente. A obra foi publicada em 1939. Da sinopse: “Em seu quarto romance, As três Marias, a escritora cearense Rachel de Queiroz foi ainda mais fundo em um tema que já estava presente em todas as suas obras anteriores: o papel da mulher na sociedade. A história tem início nos pátios e salas de aula de um colégio interno dirigido por freiras: Maria Augusta, Maria da Glória e Maria José são amigas inseparáveis que ganham de seus colegas e professores o apelido de “as três Marias”. À noite, deitadas na grama e olhando para o céu, as meninas se reconhecem na constelação com a qual dividem o nome. A estrela de cima é Maria da Glória, resplandecente e próxima. Maria José se identifica com a da outra ponta, pequenina e trêmula. A do meio, serena e de luz azulada, é Maria Augusta – ou simplesmente Guta, como sempre preferiu ser chamada.” Livro disponível na Amazon

3. Dôra Doralina (romance)

De 1975, o livro se torna marcante porque a personagem Dôra possui tanta profundidade que se torna inesquecível. Ainda, muitas vezes, lembro-me dela em determinadas situações da minha vida. Um exmplo, para colaborar com essa explicação difícil Dôra é mais uma Macabea: difícil de explicar por sua profundidade que dói. Da sinopse: “A romancista conferiu a Dôra uma sensível dimensão humana. quando a vemos vivendo. amando. sofrendo. como símbolo e imagem de nossa própria condição. São duas personalidades que fascinam – das Dores. Maria das Dores e o seu comandante. Aqui está o amor como liberdade. Liberdade é a paixão da obra de Rachel.Compre na Amazon

4. Memorial de Maria Moura (romance)

Publicado em 1992, o romance mais lembrando da autora por conta da produção da minissérie da Globo. Considero o livro importante para conhecer a obra da autora, pois além de personagens incríveis, a abordagem sobre o sertão e as mulheres é grandiosa. Da sinopse: “É considerada por muitos como a maior escritora brasileira. tendo inaugurado a grande ocorrência literária e estética do Brasil no século XX: o romance do Nordeste. Rachel jamais se despojou de sua condição primordial. demonstrando preocupação com questões sociais e habilidade na análise psicológica de seus personagens. Aos 82 anos. publicava esta saga de Maria Moura. que é a culminância surpreendente e magistral de sua obra e de sua vida.

O menino mágico (infanto-juvenil)

Livro de 1969, esse infanto-juvenil é marcante para todo jovem leitor. Da sinopse: “Daniel era um menino diferente – com uma imaginação fértil e seus poderes mágicos, ele conseguia viajar durante o sono para os mais incríveis lugares e fazer coisas que um menino normal nem sonharia. Por causa da inteligência incomum de seu primo – e melhor amigo – Jorge, um dia os dois inventam de ir sozinhos a um programa de TV, com a intenção de conseguir um prêmio. Só que eles não imaginavam que aquelas mágicas e mentirinhas inocentes pudessem arrumar tanta confusão… E isso era só o começo!Você encontra o livro na Estante virtual


Claudia Stevaux

Mora numa cidadezinha do interior de Minas Gerais, é encantada por livros e cafés, claro. Prefere um bom romance a poesias, mas não pode ver um livro de Drummond que saí por aí declamando em voz alta. Fã de Ann Dvorak. Colabora no Livro&Café desde setembro de 2017.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Primeiramente, Fora Temer!

Livro&Café é feito por Francine Ramos, desde 2011.

“Livros, o precioso sangue dos espíritos imortais” Virginia Woolf