As ressacas

Hoje, durante o almoço, pensei nos contos da Conceição Evaristo e devo afirmar, amei muito ler “Insubmissas lágrimas de mulheres“, porém, quando comecei a ler “Olhos d’água“, gostei apenas do primeiro conto, que dá nome ao livro.

Na pequena e simples história, a narradora se pergunta: que cor é os olhos de minha mãe? e presenteia o leitor com lembranças lindas de sua infância, carregadas de compreensão, dor, mas também muita força.

O segundo conto é sobre uma mulher que vive com um traficante de drogas, as suas dores e pequenas felicidades perante uma vida tão difícil. O conto é bom? Claro que é, mas depois de ler mais de quinze contos da autora, acredito que há uma repetição do tema um pouco excessiva.

Sei que a boa literatura pode ser feita com um único tema, um pequeno gancho que abre outras possibilidades literárias que podem ser maravilhosas e ousadas. Mas no momento não vejo isso nesses novos contos que estou lendo. Há vários motivos, mas quero destacar dois: ou a repetição do tema e do estilo me cansou ou, mais uma vez, é a ressaca literária gritando em meus ouvidos.

Há a ressaca da cerveja também.

Ainda quero ler o romance da autora, Ponciá Vivêncio.


Francine Ramos

Criou o Livro&Café em 2011, é professora de Língua Portuguesa, adora ler e trabalhar com mediação de leitura. Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

1 Comment
  1. Não li tantos contos dela assim como você, mas realmente parece haver uma persistência em um mesmo tema. Mesmo assim, não deixo de apreciar, sempre que posso, as obras da Conceição. Para mim, é como ouvir sempre um mesmo estilo musical. Como você gosta do estilo, fica difícil enjoar. Mas cedo ou tarde é quase impossível de não acontecer.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Primeiramente, Fora Temer!

Livro&Café é feito por Francine Ramos, desde 2011.

“Livros, o precioso sangue dos espíritos imortais” Virginia Woolf