Livros sobre a cultura indígena: conheça o projeto Histórias da Tradição

O projeto Histórias da Tradição é fruto de uma longa história de amizade e trabalho da Ikore com diferentes povos indígenas. Nasceu da grande admiração pelas culturas e sabedorias dos povos originários e da certeza de que precisamos conhecer, respeitar, valorizar e fortalecer esses povos, em seus direitos e diversidade.

Povo Mehinaku. Fonte: Histórias da tradição

O projeto se propõe a construir uma ponte para a aproximação entre as aldeias e o povo das cidades com a beleza das histórias, a força da Palavra Criadora, e contribuir para o fortalecimento da identidade e das culturas indígenas. É uma resposta ao pedido dos velhos sábios das aldeias que acreditam que as novas tecnologias, quando apropriadas e conduzidas pelas comunidades, podem ser armas importantes para manutenção das tradições.

Com apoio dos Editais Petrobras Cultural de 2012 e Programa Rumos Itaú Cultural de 2016, a Ikore realizou o projeto Histórias da Tradição em parceria com as aldeias Uyaipiuku, do povo Mehinaku, no Parque Indígena do Xingu, Etenhiritipá, do povo Xavante (MT) e Fontoura, do povo Karajá (TO), com coordenação e organização de Angela Pappiani, Inimá Lacerda e Maíra Lacerda.

Os livros:

O trabalho aconteceu principalmente nas aldeias, ao longo de meses, construindo acervos com o registro das histórias no idioma indígena em áudio e vídeo, voltados à preservação da arte das narrativas orais e incentivo às novas gerações. As narrativas escolhidas pelas comunidades como as mais significativas para edição dos livros tiveram cuidadosa tradução do idioma nativo para o português e as ilustrações foram feitas pelos jovens e crianças das aldeias. Os livros, com autoria garantida às comunidades, tem capa dura e
encarte de pôster colorido. Os dois primeiros trazem ainda CD de áudio com algumas das histórias.

Conheça o site do projeto

O website do projeto traz para o público fotografias, desenhos, textos, depoimentos, áudio e vídeo original das histórias no idioma nativo e ainda a magia das narrativas em português conduzidas por dois contadores de história, trilha sonora com sons captados na aldeia e músicas tradicionais que enriquecem o trabalho e completam o mergulho no universo dessas tradições.

Os livros voltaram para as aldeias como importante material para as escolas indígenas e instrumento de fortalecimento das identidades. As histórias milenares buscam espaços entre os amantes da boa literatura que queiram se aventurar por novas paisagens e emoções.


Francine Ramos

Criou o Livro&Café em 2011, é professora de Língua Portuguesa, adora ler e trabalhar com mediação de leitura. Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

1 Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Livro&Café é feito por Francine Ramos, desde 2011.

“Livros, o precioso sangue dos espíritos imortais” Virginia Woolf