8 livros de Ariano Suassuna para conhecer o Brasil

Se você não gosta de Ariano Suassuna ( 1927 – 2014) bom sujeito não é. Simples assim. As suas obras revelam muito sobre o povo brasileiro e também integram uma identidade  única à nossa literatura. Famoso por O Auto da Compadecida, que virou filme, o autor possui obras literárias que valem a leitura! O autor viveu uma vida dedica à literatura, à valorização da cultura nordestina, com suas representações nos cordéis e na música. Conheça abaixo 8 livros de Ariano Suassuna para conhecer o Brasil.


Uma mulher vestida de sol

“Uma Mulher Vestida de Sol foi a primeira grande tragédia produzida no Nordeste. Escrita para um concurso promovido pelo Teatro do Estudante de Pernambuco. em 1947. e classificada em primeiro lugar. deu início também à carreira de autor teatral de Ariano Suassuna. + Amazon

Auto da compadecida

O “Auto da Compadecida” consegue o equilíbrio perfeito entre a tradição popular e a elaboração literária ao recriar para o teatro episódios registrados na tradição popular do cordel. É uma peça teatral em forma de Auto em 3 atos, escrita em 1955 pelo autor paraibano Ariano Suassuna. Sendo um drama do Nordeste brasileiro, mescla elementos como a tradição da literatura de cordel, a comédia, traços do barroco católico brasileiro e, ainda, cultura popular e tradições religiosas. + Amazon

O santo e a porca

Em 1957. o jovem paraibano escreveu O santo e a porca. onde salienta-se a mistura do religioso e do profano. a presença da música e dos personagens – altamente cômicos. inseridos no universo e na ideologia da região. Seus protagonistas não se identificam com aqueles que detêm posições de mando e as autoridades se revestem de um caráter distante e negativo. O santo e a porca. uma comédia dividida em três atos. narra a história de Euricão Árabe. um velho avarento. devoto de Santo Antônio. que esconde em sua casa uma porca cheia de dinheiro. + Amazon

A farsa da boa preguiça

Em 1960. o jovem paraibano escreveu Farsa da boa preguiça. apresentada toda em versos livres. com trechos musicais cantados. contendo citações de Camões. da bíblia e de orações. A peça é dividida em três atos. onde o autor consegue manter uma certa independência em relação ao conjunto. nomeando-os com subtítulos: “O Peru do Cão Coxo”. “A cabra do Cão Caolho” e “o rico avarento”; além disso ele inclui prólogo e conclusão. A força do arcaico é justamente sua contínua presentificação e. conseqüentemente. sua capacidade de se eternizar. A arte genuinamente popular se baseia nesse pensamento. Para transformar o local em simbólico e universal. + Amazon

A história de amor de Fernando e Isaura

Tem resenha aqui no site. Sinopse: “A história do amor de Fernando e Isaura é uma espécie de versão brasileira de Tristão e Isolda (história imortalizada pela obra de Joseph Bédier) e. como o próprio autor declarou. lhe serviu para avaliar e exercitar as forças de que dispunha para escrever o grande romance com que vinha sonhando – o clássico Romance d’A Pedra do Reino. escrito entre 1958 e 1970. A história do amor de Fernando e Isaura é uma paixão proibida. Um amor tão verdadeiro e intenso que. impedido de ser vivenciado em toda a sua plenitude. encaminha-se para um trágico desfecho.” + Amazon

O romance da pedra do reino e o Príncipe do sangue do vai-e-volta

O romance de Ariano Suassuna, publicado originalmente em 1971, narra a história de Dom Pedro Dinis Ferreira, o Quaderna, apresentando seu memorial de defesa perante o corregedor, uma vez que foi preso por subversão em Taperoá, interior da Paraíba. O narrador-personagem conta a saga de sua família e se declara descendente de legítimos reis brasileiros, castanhos e “cabras” da Pedra do Reino do Sertão, sem relação com os “imperadores estrangeirados e falsificados da Casa de Bragança”. Fala ainda do seu envolvimento com as lutas e desavenças políticas, literárias e filosóficas no seu reino. + Amazon

Romance de Dom Pantero no Palco dos Pecadores

Último livro de Ariano Suassuna, concluído poucos dias antes de sua morte, o Romance de Dom Pantero no Palco dos Pecadores é uma espécie de testamento literário do autor, que procura integrar, na narrativa, elementos do seu teatro, da sua poesia, da sua prosa de ficção e do seu ensaio. Composto por cartas assinadas por Antero Savedra sob o pseudônimo de “Dom Pantero”, publicadas em um suplemento de jornal, o romance conta a trajetória de um misto de escritor, ator, encenador, professor e palhaço que dedica a sua vida à realização de uma grande obra, intitulada “A Ilumiara” e escrita a partir das obras dos seus irmãos, o romancista Auro Schabino, o dramaturgo Adriel Soares e o poeta Altino Sotero. + Amazon

Os homens de barro

Passada no conjunto de lajedos da Pedra do Reino, a história fala de um grupo de homens que decidem esculpir um Anjo, após sua suposta aparição para um deles. Para tanto, organizam-se de forma comunitária, provocando a desconfiança e hostilidade dos fazendeiros locais. Mais uma vez de forma magistral, Suassuna usa sua arte para abordar importantes questões sociais. A edição traz ilustrações de Zélia Suassuna. + Amazon




David Santos

David Santos Machado tem 28 anos, mora em Itapetininga – SP. Gosta mais de livros que café, mas acha divertida essa junção. Acredita que Poe ainda vive – em um canto de sua própria casa. Teme ficar obcecado por isso, mas se controla ao som de música clássica e uísque, mas só aos finais de semana.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.