Ter amigos e olhar para eles com olhos da boa loucura

Escreveu Fernando Teixeira de Andrade, professor e escritor:


Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos“.

Falar sobre amizade é falar sobre a vida. E a vida é tudo isso que vemos e fazemos diariamente e mais um monte de coisas que ficam escondidas dentro de nós. Algumas pessoas, com facilidade, conseguem dividir as amarguras e as dores da vida com os amigos. Outras, preferem tê-los para rir e se divertir. Independente de nossas escolhas, amizade é ter constantemente aquele acalento no coração que diz que não estamos sozinho.

E nesta grande travessia chamada vida, se há algo extremamente indispensável é a coragem! E esse sentimento que nos empurra para frente pode morar nas amizades.

Muito se fala das amizades verdadeiras, das amizades sinceras, das amizades eternas; porém, é tão difícil explicá-las sem nos colocarmos numa posição de autoafirmação, como se somente as nossas amizades e do jeito que a construímos fossem importantes. E poxa vida, sabemos que não é assim! Podemos ser livres, podemos exercitar uma condição contrária dessa tão comum ao seres humanos – parece que temos de ter regras para tudo! Que bobagem! A amizade mora em lugares, caminhos e travessias muito maiores que qualquer definição. Às vezes eterna, às vezes dura pouco, mas de qualquer forma a amizade é uma deliciosa companhia para a nossa longa travessia…

O escritor americano Jack Kerouac, escreveu em seu livro On the road assim:

“para mim, pessoas mesmo são os loucos, os que estão loucos para viver, loucos para falar, loucos para serem salvos, que querem tudo ao mesmo tempo, aqueles que nunca bocejam e jamais dizem coisas comuns, mas queimam, queimam, queimam como fabulosos fogos de artifício, explodindo como constelações…”

A amizade pode ser isso! Ter amigos e olhar para eles com olhos da boa loucura, da admiração e a certeza de que, ao encontrá-los será uma grande festa!




Francine Ramos

Criou o Livro&Café em 2011, é professora de Língua Portuguesa, adora ler e trabalhar com mediação de leitura. Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.