Pulp, o último Bukowski, meu primeiro

Compartilhe:

Viagens curtas pedem livros curtos. Tirei meu primeiro Bukowski da prateleira e fui pegar o próximo ônibus para São Paulo. O que eu sabia sobre ele? Bukowski foi um cara que bebia demais e produziu a boa literatura. A terceira folha do livro dizia “Dedicado a subliteratura”. Sentei no ônibus.

Pulp é o último livro escrito por Charles Bukowski e conta a história do detetive Nick Belane que não faz absolutamente nada para glamourizar sua profissão: não há aparelhos de escutas, carros em alta velocidade ou disfarces e mesmo assim sua vida é uma enxurrada de acontecimentos absurdos: ele conversa com a morte, com alienígenas etc e tal.

Qual o significado de Pulp?

Pulp, que significa histórias duvidosas em papel de baixa qualidade, é uma novela para se divertir. Gargalhei sozinha no ônibus. O que será que os passageiros pensaram de mim? Leram a contracapa “o último suspiro do velho safado”?. Viram a capa: a mão segurando uma arma? Pensaram o quê? E o que eu penso agora que conheço Charles Bukowski? O escritor alemão criado na América que fez da literatura seu principal entorpecente.

Saiba mais sobre o autor aqui

Por fim: debochador, engraçado, genial, confundido com um beat, sem nunca ter sido. Será que tento desvendar esse escritor? Em sua lápide está escrito “Don’t try”. Vou respeitar e continuar a ler suas obras que, no mínimo, provocam estranhos sentidos.

Um trecho de Pulp (Charles Bukowski):

Acordei deprimido. Fiquei olhando para o teto, as rachaduras do teto. Vi um búfalo saltando alguma coisa. Acho que era eu. Aí vi uma serpente com um rato na boca. O sol aparecia nas frestas da persiana e formava uma suástica em minha barriga. A bunda coçava. Estariam voltando as hemorróidas? O pescoço duro, a boca com gosto de leite talhado.
Levantei-me e fui ao banheiro. Me dava raiva olhar o espelho, mas olhei assim mesmo. Vi depressão e derrota. Bolsas escuras caídas sobre os olhos. Olhinhos covardes, os olhos do rato acuado pelo puto do gato. A pele parecia que nem tentava. Que odiava fazer parte de mim. As sobrancelhas caíam retorcidas, pareciam dementes, dementes pêlos de sobrancelhas. Horrível. Uma aparência repugnante. E eu não estava nem querendo evacuar. Todo entupido. Fui à privada mijar. Fiz pontaria corretamente, mas saiu de lado e molhou o chão. Tentei mudar a pontaria, mas acabei molhando a tampa da privada, que esquecera de levantar. Puxei um pouco de papel higiênico e passei no lugar. Limpei a tampa. Joguei o papel dentro e dei descarga. Fui até a janela e vi um gato cagando no telhado ao lado. Aí voltei ao banheiro, peguei a escova de dentes, apertei a bisnaga. Saiu demais. Oscilou sobre a escova e caiu na pia. Era verde. Parecia uma lombriga verde. Meti o dedo nela, pus na escova e comecei a escovar. Dentes. Que coisa da porra. Tínhamos de comer. E comer e comer de novo. Éramos todos repugnantes, condenados aos nossos trabalhinhos sujos. Comer e peidar e se coçar e sorrir e festejar nos feriados.
(Pulp, Charles Bukowski, tradução de Marcos Santarrita, L&PM Pockets, p. 76/77)

Onde Comprar Pulp – Charles BukowskiAmazon

Compartilhe:
Imagem padrão
Francine Ramos
Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Assine nossa newsletter

Toda semana um resumo com os principais conteúdos da revista em seu e-mail!

13 comentários

  1. Olá Francine. O velho Buk é realmente inigualável. O Sarcasmo inteligente dele talvez assuste a quem não está acostumado com o tipo de literatura cotidiana “suja” que ele faz. Mas nada mais real, nada mais humano que esse tipo de escrita que é muito natural. Cada escritor tem seu estilo, mas sinto muita falta deste tipo escrita nos dias de hoje, em que a ficção parece progredir muito mais. O único livro que li dele foi Numa fria, o que foi suficiente para considerá-lo um ótimo escritor . Pretendo ler mais livros dele. Só não li ainda porque este ano estou lendo mais nacionais.

    • Oi, Flavia
      infelizmente há um preconceito com a leitura de Buk, o que é uma grande bobagem. Eu já li vários dele e sempre é uma leitura muito legal, divertida e tb profunda. Adoro!

  2. Olá, conheci Bukowski a pouco tempo através de seus poemas, Pulp é o primeiro livro que leio do autor, também ri muito com ele. Adorei sua forma de escrever, cínica, debochada, politicamente incorreta, original. Ja estou me preparando para a próxima leitura: “Misto quente”.

  3. Garota, eu adoro Bukowski e adorei o que você escreveu. No momento eu estou lendo “A mulher mais linda da cidade e outras histórias”.

  4. você expressou bem “…Vou respeitar e continuar a ler suas obras que, no mínimo, provocam estranhos sentidos.” alguns livros e contos dele, fazem você fazer careta ou revirar o estomago, mas ainda assim te prendem

  5. Também conheci “o Velho safado” por este livro e na verdade não li todo ainda por conta das atribulações da faculdade… Realmente as poucas paginas que li me fizeram rir muito…hehehe XD Adorei o post visitarei mais, abraço! XD

Deixe um comentário