Um livro raro de Virginia Woolf: o diário

Compartilhe:

Sempre estou à procura de qualquer coisa relacionada à Virginia Woolf, pois ela será assunto do meu TCC, depois, se tudo caminhar bem, será assunto também do meu Mestrado, Doutorado e qualquer outro “ado” que aparecer no meio do caminho.

Na semana passada a Estante Virtual me surpreendeu com a disponibilidade de dois livros raros sobre ela: os diários que ela escreveu entre 1915 a 1941. São dois volumes da Editora Bertrand de Portugal e com tradução de Maria José Jorge.

Leia: Ansiedade e depressão no conto de Virginia Woolf: “O vestido novo”

Os livros estão em bom estado, porém, claro, com páginas amareladas, algumas manchas e aquele típico cheiro de livro velho, mas não me importo. Quando um dos livros chegou, meus olhos ficaram marejados, nunca imaginei ficar assim por um livro. E então eu passei a compreender aqueles fãs alucinados por determinada banda, que se emocionam quando compram o convite para um show.

Os diários de Virginia Woolf são minhas melhores compras, meus melhores convites. Ainda não comecei a ler, mas será o melhor show de toda a minha vida, e de camarote.

Compartilhe:
Imagem padrão
Francine Ramos
Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Assine nossa newsletter

Toda semana um resumo com os principais conteúdos da revista em seu e-mail!

6 comentários

  1. um obrigado da tradutora : ) é maravilhoso rever aqui o meu entusiasmo quando recebi, em 1984, o primeiro volume da edição inglesa do Diário, ainda sem capa (o livro estava em fase de produção); tinha nas mãos uma voz preciosa.

Deixe um comentário