Os textos desconhecidos da Internet

Compartilhe:

A Lu e eu estávamos procurando um texto da Clarice Lispector com o tema “amor”. Ela, então, mostrou o texto abaixo como sendo da Clarice Lispector (fruto desses compartilhamentos que recebemos todos os dias). Estranhei, afinal, o estilo está bem diferente, a Clarice não tem esse jeito de expor tudo para fora tão claramente. Ela expõe sim, porém de um jeito mais peculiar. Ficamos na terrível dúvida: quem é o autor desse texto?

Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo. Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos. Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso. Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos. (para ler o texto completo, clique aqui)

NÃO É DA CLARICE LISPECTOR

Conversar, pesquisar…

Fui ao Google mas nada encontrei (a não ser o próprio texto dizendo ser do “Autor Desconhecido”), recorri às meninas do LuluzinhaCamp e a Sr. Bia me indicou o blog ‘Autores Desconhecidos’. Gostei muito, mas o blog há tempos não é atualizado. Enfim… um clique aqui outro lá E cheguei numa comunidade do Orkut chamada “Afinal, quem é o autor?” E lá descobri que o final desse texto é da Bruna Lombardi, e a Rozzana informou lá no LuluzinhaCamp que refere-se ao poema Alta Tensão:

Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das ideias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes. Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer: E daí? EU ADORO VOAR!

Bruna Lombardi
Pois é. Essa Bruna Lombardi que você está pensando mesmo. Eu acho estranho a mídia não comentar tanto dos trabalhos literários dela. Ela, talvez, tenha ficado ofuscada pela sua beleza. Mais uma vez aquele conceito bobo que mulher bonita não pode ser inteligente, ela é! E muito!

Porém, a outra parte do texto ainda não encontrei o dono (a).

Ao encontrar textos desconhecidos, não se esqueça de realizar uma pesquisa!

A pergunta que fica é: quem são as pessoas que montam esses e-mails sem verificar a fonte? Será que, na verdade, começa com alguém bem intencionado, mas devido aos encaminhamentos de e-mails, o texto vai se perdendo, se perdendo, como se fosse a brincadeira do telefone sem fio?
Eu raramente encaminho e-mails e quando vejo a palavrinha “FWD” já desconfio. E se o anexo for alguma coisa em ‘pps’, deleto na hora!

Por essas andanças – procurando os donos dos textos – o que mais vi foram os textos da Martha Medeiros atribuídos a Shakespeare, Charles Chaplin, Arnaldo Jabor. Fiquei revoltada! Nesse mundo virtual, tão cheio de coisas legais e de fácil acesso, deve haver o cuidado com o que se encontra e, principalmente com o que se repassa. Afinal, ninguém gosta de ver o seu trabalho espalhado por aí como sendo de outra pessoa. É uma questão de respeito!

Compartilhe:
Imagem padrão
Francine Ramos
Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Assine nossa newsletter

Toda semana um resumo com os principais conteúdos da revista em seu e-mail!

8 comentários

  1. Nossa, eu nunca iria imaginar que esse texto é da Bruna Lombardi! Nem sabia que ela escrevia! Caramba, deve haver tantos talentos por aí que estão ocultos ou escondidos por trás de outros autores!Isso é ruim, e todo cuidado é pouco na hora de confiar nesses textos de internet!

    Gostei do seu papel de detetive pra desvendar de quem era o texto! Parabéns Fran!

    Beijos!

  2. “Deve ser muito chato para um autor ver seu texto como sendo de outra pessoa”. e é mesmo, muito. chateia demais esse tipo de coisa. isso quando não pegam um texto nosso, mudam uma ou duas frases e publicam pelos blogs afora sem dar os créditos. isso é plágio, e é crime. mas o que a gente pode fazer? publicar coisas na internet é estar sujeito a esse tipo de coisa. como se ninguém fosse dono de nada.

    obrigada por twittar lá, viu. obrigada mesmo! alguns textos em uns blogs já foram corrigidos, colocaram meu nome, deram os créditos e tal. mas com outros donos de blogs, eu não consegui nem entrar em contato =/

    mas valeu mesmo! beijo

  3. Eu já fui vítima disso. Tive um texto copiado e distribuído sem a autoria há alguns anos atrás, e graças a Van Lampert – a mentora/criadora do blog Autor Desconhecido, conseguimos recuperar o meu texto.

    Achei muito legal essa iniciativa de vocês, de procurarem o autor do texto antes de publicá-lo.

  4. Concordo com vc.Há que se ter um cuidado antes de repassar um texto.Deve ser muito chato para um autor ver seu texto como sendo de outra pessoa.Abraço grande!

Deixe um comentário