O que é Bloomsday?

James Joyce (1882 – 1941), escritor Irlandês, fez história com o seu livro  Ulysses e por isso ganhou um dia especial, o Bloomsday. O livro é um clássico da literatura moderna, que tem como personagem principal  Leopold Bloom e faz sátira ao clássico Odisséia, de Homero.

A história se passa no dia 16 de junho de 1904 em Dublin, na Irlanda. Apenas neste dia a vida de Bloom é apresentada, assim como fez Virginia Woolf, com Mrs Dalloway, anos depois.

Portanto, como todos os clássicos, não há uma palavra ou frase que exprima o quanto Ulysses é importante para a literatura. Eu, como ainda não li, mas pretendo ler em breve, pois tenho a edição nova da Companhia das Letras, escolhi a frase de Anthony Burgess no livro “Homem Comum Enfim” para resumir (com o poder de instigar) a literatura de James Joyce:

Joyce tinha uma ambição: escrever um romance moderno não apenas para rivalizar com as obras clássicas, mas também para contê-las. O épico clássico era expansivo; o drama clássico era contrativo. Homero abrange céu, terra, o mar e uma grande fatia de tempo; Sófocles se atém a um pequeno espaço e restringe a ação a um único dia. E assim Joyce se atém a Dublin em 16 de junho de 1904, mas também usa o delírio e a imaginação para conter grande parte da história humana e mesmo o Fim do Mundo. O épico e o drama gregos estão encerrados na estrutura de um romance burguês moderno.

Bloomsday, 16 de junho, é feriado em Dublin (Irlanda) por conta de Ulysses. O único feriado dedicado exclusivamente a um livro!

Imagem padrão
Francine Ramos
Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.
Artigos: 835

Assine nossa newsletter

Toda semana um resumo com os principais conteúdos da revista em seu e-mail!

2 comentários

  1. Olá, comecei a ler Ulysses nesta última semana, e exatamente esta mesma tradução mencionada na postagem. Devo dizer que, por enquanto, é o livro mais difícil com o que eu já me deparei.

Deixe um comentário