A Londres de Virginia Woolf

Virginia Woolf amava Londres e foi viver longe da movimentação londrina por conta de suas crises de depressão. Porém, todo a paixão que ela sentia pela cidade, ficou registrada em seus livros, principalmente no romance Mrs. Dalloway, em que vários personagens passeiam pela cidade em busca de algum sentido para a vida.

No filme As Horas, a personagem Virginia Woolf, à espera de um trem que a leve novamente para a cidade que tanto ama, diz ao marido que “você não encontra a paz evitando a vida”. Isso significou que ela queria encarar Londres, as pessoas, o carro, o trânsito que já se mostrava caótico, pois aquela vida pulsante da cidade era uma das coisas que ela mais amava, ao ponto de esquecer as recomendações médicas de abandonar a vida urbana e viver no campo, com mais tranquilidade. Afinal, penso, a vida que realmente pulsava estava dentro da mente genial de Virginia Woolf e talvez Londres representasse mais a sua alma que o campo, como se os carros fossem o fluxo de consciência, cortando as mentes das pessoas, os personagens.

No vídeo abaixo, temos a Londres de 1927, foi nela que Virginia Woolf viveu; foi ela que Virginia Woolf amou e teve de abandonar até não suportar mais e se afogar no rio Ouse.

‘London In 1927’ from My Vimeo on Vimeo.

Para conhecer mais de Virginia Woolf, confira essas dicas de livros:
Amazon
Americanas
Livraria da Folha
Livraria Travessa
Saraiva
Submarino


Avatar
Francine Ramos

Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

8 Comentários

Deixe um comentário

O seu e-mail não será publicado