Garota Exemplar (Gillian Flynn)

Gillian Flynn é uma escritora americana, com formação na área de Jornalismo. Além de Garota Exemplar, ela já escreveu outros 2 romances (Sharp Objects e Dark Places), que também fizeram muito sucesso e que já estão com os direitos de adaptação cinematográfica vendidos.

Garota Exemplar é a história de uma mulher perseguida por uma imagem que os próprios pais criaram dela. Eles, escritores, criaram uma série de livros infantis chamado “Amy Exemplar” que fizeram muito sucesso e com uma temática de bom comportamento, promovem a própria filha como exemplo de modelo a ser seguido. Ela, aos trinta anos, se vê num casamento infeliz e tenta concertar ao seu modo – de menina mimada – uma relação totalmente destinada ao fracasso, e o que é pior, à submissão.

O marido dela é um cara legal, o que deveria ser um cara legal. O que ela imaginou como um homem perfeito, mas tudo está relacionado à beleza dele que com ela, também linda, formam o típico casal perfeito, ricos e lindos.

O que tinha tudo – na cabeça de Amy, do jeito de Amy – para ser uma vida perfeita, se transforma num caso de polícia no dia em que o casal completa 5 anos de casamento: Amy desaparece e tudo leva a entender que o culpado é o seu marido.

O que achei interessante foi a forma que a escritora conduziu a história, pois cada capítulo apresenta um narrador diferente, uma vez Amy, outra seu marido Nick. E eles não estão narrando a história no mesmo tempo narrativo. Um está no passado e o outro no presente e isso causa uma boa dinâmica para prender o leitor.

Não é surpresa a verdade da história. É óbvio o desenrolar da trama, principalmente para leitores de Agatha Christie e similares. Acredito que Gillian Flynn tentou criar um romance psicológico, mas desconfio do seu resultado. Li o livro em poucos dias, mais por curiosidade em como Gillian iria desenrolar a trama. O final é interessante, mas nada arrebatador, de deixar o leitor de queixo caído. E na verdade fiquei preocupada: como será que os leitores  em geral estão encarando essa história? Será que eles acham legal ser tipo Amy Exemplar? Espero que não, de todo o meu coração, não!

Quando tento registrar as características dos personagens concluo que todos são doentes, psicóticos, lunáticos, infelizes, superficiais, manipuladores, egocêntricos e infelizmente demais.

Leia o primeiro capítulo aqui

Avatar
Francine Ramos

Faz da Livro&Café parte essencial de sua vida desde 2011. É professora de Língua Portuguesa, adora ler, escrever (um dia vai publicar um livro) e trabalhar com mediação de leitura. Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu e-mail não será publicado