8 livros para entender (um pouco) a literatura

Compartilhe:

A leitura é um prazer, sabemos. A leitura de um livro bom, é maravilhoso, nos fortalece em diversos aspectos, pessoais e culturais. E, claro, acontecem tantas outras coisas que é difícil elencá-las. Entre essas tantas coisas, se o leitor deseja compreender mais sobre o livro em si, há alguns livros que ajudam a entender (um pouco) a literatura. Eles foram escritos por profissionais da arte da escrita, escritores e também críticos literários.

Acredito que a literatura – e o prazer da leitura, está muito além de conhecer técnicas e teorias sobre o universo dos romances, dos contos, das novelas, etc. Portanto, nenhum leitor é melhor que outro; cada um apenas, possui vivências e percepções diferentes, que constituem o próprio gosto literário. Assim, dentro do universo da literatura de cada um, podemos usar esses livros como referências e luzes que se acendem durante e depois da leitura de um livro de ficção. Afinal, a sensação de poder dar nome ao que sentimos como leitores é sempre maravilhosa. Abaixo, então, há 8 livros para entender (um pouco) a literatura.

1. Para ler como um escritor (Francine Prose)

Francine Prose é escritora e crítica literária, publicou Para ler como um escritor em 2008 com o objetivo de defender que temos muito a aprender com os grandes nomes da literatura mundial. Virginia Woolf, Jane Austen, Nabokov, Philip Roth e Flaubert são alguns dos autores a quem dedica uma leitura atenta e cuidadosa. O livro é muito bem organizado, com ótimos exemplos sobre a escolha das palavras, as frases, o parágrafo, a narração, as personagens, diálogos, detalhes e gestos. No final há duas lista de “livros para ler imediatamente”, uma versão da própria Prose e outra do crítico Ítalo Morriconi, exclusiva de autores brasileiros. | Compre na Amazon

2. A arte de escrever (Arthur Schopenhauer)

“Nesta antologia o leitor vai encontrar textos que trazem as mais ferinas, entusiasmadas e cômicas reflexões acerca do ofício do próprio Arthur Schopenhauer (1788-1860), isto é, o ato de pensar, a escrita, a leitura, a avaliação de obras de outras pessoas, o mundo erudito como um todo. São eles: “Sobre a erudição e os eruditos”, “Pensar por si mesmo”, “Sobre a escrita e o estilo”, “Sobre a leitura e os livros” e “Sobre a linguagem e as palavras”.” | Compre na Amazon

3. Como funciona a ficção (James Wood)

James Wood é um crítico inglês conhecido por seu trabalho na revista The New Yorker. No livro Como funciona a ficção, ele traz exemplos de grandes autores, como Henry James, Flauber, Tchekhov, Virginia Woolf, Jane Austen, entre outros.

Por meio de um texto simples, como uma boa conversa sobre livros, o autor propõe considerações importantes sobre o livro, seus aspectos estruturais e também em relação ao próprio autor: a narração, os detalhes, os personagens, a linguagem, os diálogos e outros elementos importantes de uma obra de ficção são analisados com entusiasmo. | Compre na Amazon

4. Negociando com os mortos (Margaret Atwood)

Em ‘Negociando com os mortos’, a autora fala sobre escrever. Não se trata de um guia para aspirantes a escritor nem de um relato sobre seu processo criativo – a autora recorre aos seus 40 anos de experiência para refletir sobre o que é ser escritor.

Cada capítulo traz o conteúdo de uma das seis palestras apresentadas por Margaret Atwood nas Empson Lectures, tradicional ciclo de conferências da Universidade de Cambridge. No primeiro capítulo, a autora conta sua própria história para explicar o que é ser escritor. Para a autora, o escritor surge como instrumento de poder social e político  e defende a tese de que toda narrativa é motivada pelo fascínio da mortalidade e pelo medo desse fascínio. COMPRE NA AMAZON

5. Confissões de um jovem romancista (Umberto Eco)

Umberto Eco é um dos intelectuais mais importantes do seculo XX. Até hoje as suas contribuições, não somente na literatura, trazem reflexões muito importantes e urgentes sobre a vida, a sociedade e tudo mais. Portanto, Confissões de um jovem romancista é fruto de palestras que o autor realizou, como crítico literário, primeiramente.

O título do livro é porque, embora com seus muitos anos, Eco se considera um jovem romancista pois o seu primeiro brilhante livro, O Nome da Rosa, foi escrito em 1980, quando ele já se firmava como crítico e professor de literatura, porém não como escritor. Por fim, no livro, o leitor irá se apaixonar pelo processo criativo do autor que, embora árduo, louco e obcecado, é também genial. | Compre na Amazon

6. E a história começa (Amós Oz)

Amós Oz é autor de 11 obras de ficção, nasceu em Jerusalém é considerado, além de escritor, comentarista político e defensor da paz no Oriente Médio. No livro E a história começa, o autor coloca luz sobre a importância de um bom começo, aquela frase que procura fisgar o leitor e anunciar que uma grande história está por vir. Portanto, Kafla, Tchekhov e Fontane são considerados pelo autor como especialista de um bom começo. | Compre na Amazon

Literatura comparada: 3 livros essenciais para os estudantes de Letras

7. O Leitor Comum (Virginia Woolf)

Virginia Woolf foi escritora, crítica literária e dona de uma editora. O Leitor Comum contém artigos da autora que ajuda a entender a literatura enquanto leitor.

Jane Austen, Joseph Conrad, Shakespeare, entre outros grandes nomes, a autora presenteia o leitor com análises interessantes sobre a literatura e também propõe diversas técnicas sobre como o leitor comum (eu, você, ela) devemos ler um livro.

8. Introdução à Teoria da Literatura (Antônio Soares Amora)

E claro que para entender a Literatura precisamos desse pequeno grande livro! A literatura pode desmenbrar-se em diversos aspectos. Uma das mais importantes é sabermos que dentro do universo literário há vários pontos que precisam ser reconhecidos separadamente: autor, leitor, obra e público. Assim, o leitor pode se colocar em um outro espaço dentro da própria literatura e sentir-se parte vital dela. Por fim, o livro, dividido em “Noções Preliminares”, “Teoria dos Fatos Literários” e “Relações da Teoria da Literatura com outras disciplinas”, se torna essencial para leitores e estudantes da área. | Compre na Amazon

Assista ao vídeo “8 livros para entender Literatura” no canal Livro&Cafe

Compartilhe:
Imagem padrão
Francine Ramos
Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Assine nossa newsletter

Toda semana um resumo com os principais conteúdos da revista em seu e-mail!

10 comentários

  1. Adorei as indicações. Adoro ler, mas estou sentindo falta de ter mais cinhecimento para fazer uma análise mais profunda dos livros. Adoro os clássicos. Também amo Virginia Woolf!

  2. Como já disse antes pra amigos e conhecidos, e fui estranhado por isso, gosto mais de ler sobre literatura do que de ler a própria literatura. Já li alguns desses que você apresentou (também acho o de Umberto Eco o melhor deles), outros ainda não tive contato, mas me interessei muito agora.

    • são ótimos livros!
      tenho aqui, ainda, A Arte do Romance, do Milan Kundera e A Jornada do Escritor, do Christopher Vogler. Vou ler em 2017 🙂

Deixe um comentário