prosperidade

Prosperidade: sucesso ou êxito?

Prosperidade. Eu não tenho costume de usar essa palavra. E até fiquei pensando: caiu de moda ou eu estou fora de moda?

Geralmente no Natal essa palavra é mais usada. Lembro-me dos quase extintos cartões de Natal que eram assim: “desejo a sua família muita saúde e prosperidade”. Talvez, hoje em dia, essa palavra possa estar relacionada a um certo sucesso financeiro ou pessoal. E sucesso, claro, esse todo mundo quer!

Recentemente eu li uma entrevista com o escritor Ariano Suassuna. Ele me fez refletir muito sobre essa questão do sucesso. Segundo ele, sucesso é algo que você adquire com facilidade até. Mas o que perdura, o que realmente transforma o mundo, é o que tem êxito. Para Suassuna, êxito é a palavra, pois permite que algo seja eterno, muito diferente de sucesso, que pode ser algo passageiro. Acredito que muitos programas de televisão podem exemplificar o sucesso passageiro. Quem é que lembra do terceiro participante da quarta edição do Big Brother? Talvez a pessoa tenha alcançado um sucesso, mas não um êxito. Como discordar de Ariano Suassuna? Impossível!

Na literatura, é muito comum a conversa sobre os clássicos literários. Muitos questionam porque ainda é importante ler esses livros. Agora, que aprendi com Ariano Suassuna, eu posso dizer que os clássicos da literatura são aqueles livros que tiveram êxito. E não está nada relacionado ao número de livros vendidos, mas sim no poder dessas obras ainda refletirem a sociedade, com todas as suas particularidades. E isso se aplica a qualquer coisa, às artes plásticas, à música, à dança…

No próximo cartão (ou mensagem eletrônica) de Natal que eu for escrever, vou registrar algo mais ou menos assim: Que a sua vida tenha um lindo caminho, muito além do sucesso, com êxito, para a prosperidade ser duradoura!


Foto: TruthStar

Imagem padrão
Francine Ramos
Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Assine nossa newsletter

Toda semana um resumo com os principais conteúdos da revista em seu e-mail!

2 comentários

  1. Muito bom Fran.
    Do final do texto, sobre o que desejar ao próximo, comprei uma arte feita por uma Argentina que conheci em Salvador, e ao se despedir ela disse: tchau, tenha uma boa vida. Achei tão profundo e sutil ao mesmo tempo. Agora, prosperidade, só deve sentir quem aceita que não existe vida perfeita e que da valor ao agora, ao que ja tem. Isso pra mim é ser próspero.

    • Sim! Concordo super! A vida pode realmente ser mais leve se a gente aprender a curtir mais os momentos 🙂

Deixe um comentário