Sim (Eliete Della Violla): poesias sobre o corpo e sua existência física e poética

Escritora, designer gráfica e artista visual, Eliete Della Violla prefere não colocar divisórias entre as áreas artísticas nas quais sua criatividade se manifesta. Pelo contrário: criar pontes entre o visual e o verbal tem sido a tônica de seu processo artístico, que acaba de desembocar na publicação do livro de poesia “Sim”, lançado com apoio da Lei de Incentivo à Cultura de Sorocaba (Linc- Edital 2018). Esse é o primeiro livro da artista, que já vem de uma significativa produção de zines iniciada em 2017.

“Sim” reúne 20 poemas escritos nos últimos dois anos por Eliete e também desenhos produzidos a partir de carimbos artesanais: tudo alinhavado por um projeto gráfico cuidadosamente pensado pela artista. “Tenho me dedicado a projetos de design gráfico, a publicações, cartazes, zines, gravuras, objetos, poesias, textos e qualquer outra manifestação que chegue e me contemple. Atualmente, sinto que essas coisas que pareciam díspares passaram a fazer sentido em conjunto”, reflete a artista.

Eliete Della Violla

O livro “Sim” é dividido em duas partes que se inter-relacionam: “Primeira Onda” e “Segunda Onda”. A divisão marca dois períodos da produção de Eliete: num primeiro momento, a intitulada “Primeira Onda”, os escritos foram aparecendo em um caderninho no qual a artista anota seus lampejos criativos: sejam eles palavras ou desenhos; num segundo momento, a chamada “Segunda Onda”, as poesias nasceram em um período em que a artista empreendia longas caminhadas pela cidade e depois, chegando em casa, desovou seus versos na máquina de escrever. Segundo ela, a “Primeira Onda” ocorreu com mais espaçamento de tempo, já a “Segunda Onda” veio em um jorro mais intenso e visceral, “como numa queda violenta de água de cachoeira”, pontua a poeta.

Interessante notar que as duas fases da escrita não são estanques entre si, pelo contrário, abrem diversos diálogos possíveis: seja aprofundando, reiterando, acrescentando ou lançando novos olhares sobre ideias, tecendo assim um corpo poético denso e coeso.

Tentar elencar um tema ao qual a escrita de “Sim” se debruça – “o livro fala sobre isso ou sobre aquilo” – cairia no risco de restringir toda potência da escrita de Eliete. De qualquer forma, pode-se elencar algumas ideias que perpassam o livro: o corpo e sua existência física e poética, a gênese da matéria e da vida, a vida e a morte, o feminino e até versos de um prisma bem íntimo à poeta, seu avô Guaracy. Impossível não sentir a influência das águas agitadas de Clarice Lispector nos escritos de Eliete. Aliás, a epígrafe de “Sim” é a primeira frase do livro “A hora da estrela” e estabelece um disparo interessante para o que se lerá – e verá – nas próximas páginas.

Trajetória

“Sim” é o primeiro livro da jovem escritora, que tem 27 anos, mas a publicação é fruto de uma trajetória com a palavra iniciada há bastante tempo: Eliete Della Violla, que é formada em Design Gráfico, começou publicando seus escritos em um blog em 2008 e, mais recentemente, a partir de 2017, começou a produzir zines (já unindo artes visuais, design e literatura) e participar de feiras gráficas por Sorocaba e região. “Tenho uma ligação muito forte com a palavra. A poesia foi o primeiro acontecimento artístico que me ocorreu na vida, quando eu ainda nem sabia o que era poesia, o que era literatura, o que era arte. Isso já vai fazer dez anos. De lá pra cá, muita coisa aconteceu, outras manifestações se somaram, mas nunca parei de escrever”, explica a artista.

Proposta visual

Em relação ao trabalho visual do livro, composto inteiramente por Eliete Della Violla, vale ressaltar a intenção da artista em trabalhar no limiar entre o manual e o industrial. O fazer artesanal é fundamental no processo artístico de Eliete, que vem desenvolvendo pesquisas em máquinas que já caíram em desuso – como mimeógrafo e máquina de escrever. Já em “Sim”, a artista recorreu ao uso dos carimbos feitos por ela mesma a partir de borracha escolar. Foi um processo intenso de contato com a ferramenta artesanal e, posteriormente, o trabalho em computação gráfica até chegar à composição final, que traz um equilíbrio interessante entre os dois universos: a tecnologia e a manualidade.

Eliete Della Violla

Coordenação editorial

Artista e Doutora em Letras, Talita Annunciato assina a coordenação editorial do projeto. “Ela me acompanhou nos processos como uma orientadora, uma provocadora”, frisa Eliete Della Violla, que realizou diversos encontros com Talita para refletir sobre referências visuais e editoriais. “Parte do processo ocorreu sozinha e parte num diálogo muito horizontal com a Talita”, explica. Aliás, Talita assina a apresentação do livro e afirma em seu texto: “’Sim’ estreia com maturidade e nos mostra a sensibilidade ímpar de uma escritora como Eliete. Vemos aqui a artista na completude do seu agora, presente e porosa, e a materialidade da poesia sob formas diversas. Lugar das experimentações”.

Lançamento – 1º de junho

O evento de lançamento de “Sim” (Eliete Della Violla) ocorre no dia 1 de junho, sábado, a partir das 19h, no Pupa Eventos Criativos (Rua Aparecida, 569 – Sorocaba).

O livro será comercializado no dia do evento por R$ 30 (interessados também podem adquirir a publicação no site da autora, em valor promocional de pré-venda, por R$ 25). Durante o evento de lançamento, haverá uma performance de Pêu Ribeiro e Natalie Mess, que farão uma interpretação musical de alguns poemas, enquanto Eliete conduzirá uma intervenção artística utilizando retroprojetor.

Confirme sua presença aqui.

Fotos: Camila Fontenele

Avatar
Francine Ramos

Faz da Livro&Café parte essencial de sua vida desde 2011. É professora de Língua Portuguesa, adora ler, escrever (um dia vai publicar um livro) e trabalhar com mediação de leitura. Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Não há comentários. Seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu e-mail não será publicado