Isaac Asimov

Dois contos de ficção científica para a sala de aula

Compartilhe:

Uma das minhas alegrias como professora é poder apresentar o universo da literatura aos meus alunos. Muitas vezes me encanto em ver os olhos daqueles jovens leitores brilhando pela primeira vez com uma história. Dessa forma, contos de ficção científica tem sido uma excelente maneira de envolver os jovens em temas tão importantes para a vida: os limites da moral, da ética, o nosso futuro, o que pode acontecer de bom ou ruim etc.

Os dois contos de ficção científica que utilizei em sala de aula foram trabalhados de formas diferentes. O primeiro como uma introdução ao tema e o segundo no momento final, depois de realizarmos discussões e atividades sobre o tema.

Eu, robô (Isaac Asimov)

O livro de contos de Isaac Asimov pode também ser lido como uma única história, pois parte da perspectiva de uma psicóloga de robôs e suas histórias para livrar as máquinas de “bugs existenciais”. Porém, eu selecionei apenas um conto do livro para ler com meus alunos. A minha ideia era iniciar a conversa a partir da apresentação das 3 leis da robótica e discutir sobre a ética que envolve o relacionamento de humanos e robôs.

Eu escolhi o conto “Robbie”, que fala sobre a relação de uma criança com um “robô-babá”, mas acredito que qualquer conto do livro será uma excelente escolha. Compre na Amazon

ficção científica

Um conto de André Carneiro

O conto de André Carneiro está presente na coletânea “Histórias de ficção científica”, disponível na Amazon

O conto do escritor brasileiro André Carneiro é ótimo para abordar a questão do ponto de vista em uma narrativa.

Na história “Planetas habitados”, diferente do comum, teremos o ponto de vista de extraterrestres e sobre o quanto eles nos podem ver como esquisitos.

É um conto leve e divertido e auxilia muito também na construção de diálogos. No final da leitura, os alunos responderam as questões abaixo:

  1. Nas narrativas de ficção científica, o ponto de vista é, na maioria das vezes, humano. No conto “Planetas habitados” há uma diferença nesse sentido. Qual é a diferença e quem são os personagens da história?
  2. Devido à natureza fantasiosa dos enredos de ficção científica, há sempre, por parte do autor, a preocupação em reforçar alguns elementos que confiram verossimilhança ao que é narrado. Ou seja, o autor quer nos convencer de que aquilo que está sendo relatado, poderia acontecer. No conto que você acabou de ler, como você explicaria a verossimilhança?
  3. A literatura de ficção científica se caracteriza pelo apoio em informações provenientes da ciência e da tecnologia. Ela vislumbra a possibilidade de expansão dos recursos tecnológicos atuais. É por isso que, geralmente, uma história de ficção científica se passa no futuro. Cite três temas que podemos considerar principais no universo da ficção científica.
  4. No conto lido, é possível perceber que não há a presença de um narrador, pois todo o conto é construído por meio de diálogos. Reescreva os quatro primeiros parágrafos sem usar o recurso de diálogos e utilize um narrador em 3ª pessoa.

O conto está disponível aqui.

Compartilhe:
Imagem padrão
Francine Ramos
Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Assine nossa newsletter

Toda semana um resumo com os principais conteúdos da revista em seu e-mail!

6 comentários

    • Olá, Michele! Não disponibilizamos as respostas, pois acreditamos que o professor precisará compreender a atividade primeiramente, e assim, saberá as respostas para conduzir a aula.

    • Olá, Rayane! Não disponibilizamos as respostas, pois acreditamos que o professor precisará entender a atividade primeiramente, e assim, saberá as respostas para conduzir a aula.

Deixe um comentário