[Editorial 7] O horror da existência

Para o editorial deste trimestre, lançamos o desafio de falar sobre o horror. Mas a partir de qual abordagem? Horror na literatura? Na vida e na arte? A partir dos nossos próprios medos?

De alguma forma, a vida, toda entrelaçada no tempo, se relaciona com algo misterioso, inexplicável, difícil de entender. Mistura-se com nossos sonhos, nossos medos de olhar para o passado (tão escuro) ou até mesmo de encarar o futuro (sempre tão incerto). Assim, cedo ou tarde, cada um encontra o seu horror particular e, por isso, todas as expressões artísticas ao longo de nossa história está carregada de terror.

Sendo assim, nos próximos meses, estaremos colocando nossos pés nas cavernas do medo, do horror, do escuro e em tudo que pode nos causar arrepios, mas também nos ensinar.

O horror dos livros, o horror das artes plásticas, das músicas, da vida real, da política, da violência em todas as suas formas estarão presentes nas linhas e entrelinhas de nossas produções textuais. Vamos abordar a vida e a morte; e tudo mais que permeia esse assunto que sempre parece tão atual.

Prepare-se! Qual é o seu medo?

Bruna Bengozi e Francine Ramos
Editoras
Livro & Café


Imagem: Harry Clarke

Avatar
Francine Ramos

Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Não há comentários. Seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu e-mail não será publicado