vacina

Tome a vacina e vire um jacaré: 11 livros sobre epidemias e imunização

As fake news têm vários alvos e com a vacina contra a Covid-19 não foi diferente. E entre tantos absurdos em torno da pandemia e da vacinação – que se tornou nossa única esperança – tivermos recentemente mais uma “pérola”. Segundo aquele que não deve ser nomeado, falando a respeito da vacina da Pfizer, “se você virar um jacaré o problema é seu”.

Pois bem, é claro que a internet não perdoou e a produção de memes foi imediata. Mas brincadeiras à parte, nem preciso dizer o quanto uma fala dessas só contribui para o negacionismo criminoso do governo e de seus seguidores. Sem contar que a completa desinformação, ao lado de toda a falta de investimento às pesquisas e ao SUS, dificulta o enfrentamento da maior crise da nossa época.

Eu bem plena e imunizada após tomar a vacina no postinho!

Dúvidas sobre vacina: um fenômeno atual?

Claro que saber como as vacinas funcionam pode e deve suscitar questões, afinal a ciência só avança por meio de perguntas. E principalmente quando estamos diante de fenômenos inéditos, como uma epidemia ou uma pandemia, os surtos de dúvidas e temores ficam mais evidentes. Vimos isso no passado, com a Revolta da Vacina, por exemplo, e no presente, com a diferença de que hoje contamos com um arsenal de estudos e informações que garantem a eficácia da imunização. Então é nosso dever buscar estratégias que combatam as notícias falsas e salvem vidas.

Assim, além dos canais de divulgação científica, os livros também são ótimas fontes para que possamos nos informar sobre a história e o funcionamento das vacinas, que estão atrelados, é claro, à própria trajetória das epidemias e dos avanços da ciência.

Aqui, deixo algumas sugestões de leituras que fazem um passeio pela história e pela medicina. Também aproveito o espaço para fazer aquele comentário óbvio (mas necessário para os alecrins dourados que vagam por aí): vacinação é um PACTO COLETIVO. Sem mais. Vamos estudar!

História das epidemias

vacina

Da Antiguidade até os dias de hoje, as epidemias assombram o ser humano. Chegam sorrateiras e se instalam causando pânico e destruição. A desinformação impera e, não raro, demora-se a descobrir como a doença se propaga e o que fazer para dominá-la. A famosa peste negra matou cerca de um terço da população europeia na Idade Média. De lá para cá, muita coisa mudou. Se por um lado a Medicina evoluiu, por outro, vivemos cada vez mais aglomerados em grandes cidades, viajando muito mais pelo planeta, o que torna a situação mais dramática e difícil de controlar.

O infectologista Stefan Cunha Ujvari trata, neste livro fascinante e atualíssimo, das epidemias e pandemias mais marcantes da nossa história. Como a humanidade conviveu com essas doenças? Qual a importância das primeiras vacinas e como elas surgiram? Partindo da Grécia Antiga e chegando até os nossos dias, o livro aborda doenças como peste negra, sífilis, gripe, ebola. Dedica um capítulo para a covid-19 e mostra por que, afinal, essa doença parou o mundo. + COMPRE SEU EXEMPLAR

Pandemias: a humanidade em risco

Este livro de Stefan, homem de ciência reconhecido, médico infectologista e autor de A história da humanidade contada pelos vírus, até parece ficção científica, tão bem contado e assustador que é. Contudo, é terrivelmente real. Pandemias mostra o que pode acontecer conosco, num futuro muito próximo. A verdade é que não se discute mais se novas pandemias vão aparecer, mas quando.

“Comecei a ler este livro e não consegui parar. Já li e havia gostado dos anteriores de Stefan Cunha, sempre interessado na história das doenças infecciosas que nos afligem desde os primórdios da civilização, mas este mostra o escritor na maturidade. Em linguagem claríssima e objetiva, Stefan faz uma análise criteriosa dos germes que poderão causar as futuras epidemias, num estilo que combina a precisão científica do infectologista competente com a do contador de histórias que volta e meia mergulha no passado em busca de acontecimentos que sirvam de lição para o futuro. Quando terminei a leitura fiquei com a sensação de que havia entendido melhor a história do homem na Terra.” – Drauzio Varella, médico e escritor. + COMPRE SEU EXEMPLAR

A história da humanidade contada pelos vírus

vacina

Terminando a sequência de livros do Stevan Ujvari! Malária, sífilis, tuberculose, ebola, gripe, AIDS, sarampo e outros males que atacam a humanidade revelam muito mais da nossa história do que imaginamos. Os passos do homem ao longo das épocas, pelos continentes, o início da utilização de vestimentas, a convivência com diversos animais, o encontro com outros seres humanos: tudo isso pode ser desvendado agora com o estudo microscópico de vírus, bactérias e parasitas que cruzaram – e cruzam – o nosso caminho.

Esses pequenos seres têm sido protagonistas centrais e narradores, não meros coadjuvantes, do processo histórico. Por meio do DNA dos microrganismos, podemos saber quando e como as epidemias atuais se iniciaram e de que forma elas condicionaram a existência humana, dizimando populações, estimulando conflitos, infectando combatentes, promovendo êxodos, propiciando miscigenação, fortalecendo ou enfraquecendo povos. Este livro, escrito por um brilhante médico infectologista brasileiro, em estilo agradável e de fácil leitura, traz a genética definitivamente para a área das ciências do homem. + COMPRE SEU EXEMPLAR

Imune: A extraordinária história de como o organismo se defende das doenças

vacina

De maneira clara e fácil, Richtel guia seus leitores em uma investigação científica que vai da Peste Negra, passando por importantes descobertas do século XX, como vacinas e antibióticos, até os laboratórios de tecnologia de ponta que estão revolucionando a imunologia ― talvez a história mais extraordinária e significativa da medicina de nossa época. Imune torna acessível revelações sobre imunoterapia para o tratamento de câncer, microbiomas e autoimunologia que estão mudando milhões de vidas, além de capturar em detalhes como estas terapias poderosas, junto com nosso comportamento e ambiente, interagem com o sistema imunológico, muitas vezes com consequências positivas, mas sempre com o risco de causar um desequilíbrio desastroso.

Fazendo uso de sua experiência como jornalista do The New York Times e entrevistando dezenas de cientistas renomados mundialmente, Matt Richtel produziu um livro notável: tanto uma investigação dos enigmas profundos da sobrevivência quanto uma reportagem incrivelmente humana sobre a vida a partir do ponto de vista de seus quatro personagens principais, cada um contribuindo com um detalhe essencial de nosso sistema de defesa. + COMPRE SEU EXEMPLAR

A Revolta da Vacina: mentes insanas em corpos rebeldes

Imagine as ruas centrais e alguns bairros da cidade do Rio de Janeiro, então distrito federal, tomados por barricadas e trincheiras, a iluminação pública destruída, uma fúria dirigida a delegacias, repartições públicas e inclusive ao comércio, em busca de armas, querosene e dinamite. Imagine carros tombados, armadilhas e tocaias em becos e casas abandonadas, e a ação policial sem conseguir reprimir a revolta. O governo precisa recorrer, então, às tropas do Exército e da Marinha, aos bombeiros e, por fim, à Guarda Nacional. Neste livro, Nicolau Sevcenko elucida os principais fatores que levaram à Revolta da Vacina, durante a campanha de vacinação contra a varíola ocorrida em 1904, o “último motim urbano clássico do Rio de Janeiro”. + COMPRE SEU EXEMPLAR

Cidade febril: cortiços e epidemias na corte imperial

vacina

Tomando como ponto de partida a cidade do Rio de Janeiro e a demolição de seus cortiços, passando pelas polêmicas entre infeccionistas e contagionistas em torno da transmissão da febre amarela e pela resistência das comunidades negras à vacina antivariólica, Sidney Chalhoub escreveu uma “história na encruzilhada de muitas histórias”. De forma apaixonante e extremamente bem-humorada, Cidade febril reinterpreta esses e outros conflitos à luz da história social. O resultado é uma obra riquíssima, que mapeia a formação das políticas de saúde pública no Brasil, as quais, longe de se limitarem ao século XIX, até hoje influem em nosso cotidiano com força assustadora. Ganhador do Prêmio Jabuti 1997 de Melhor Ensaio. + COMPRE SEU EXEMPLAR

A grande gripe: a história da gripe espanhola, a pandemia mais mortal de todos os tempos

vacina

Em A grande gripe, John M. Barry conta a história do surto que começou em uma base militar no Kansas, Estados Unidos, chegou à Europa durante a Primeira Guerra Mundial levado pelas tropas americanas e de lá se espalhou para o restante do planeta. O pesquisador mostra ainda a corrida contra o tempo da comunidade científica norte-americana para combater a pandemia e como se deu uma das principais descobertas da medicina do século XX.

Obra de referência sobre a gripe espanhola, premiada pela Academia Nacional de Ciência dos Estados Unidos e best-seller internacional, o livro é também um relato sobre poder, política e guerra, com importantes lições para um mundo sob a constante ameaça do bioterrorismo e do surgimento de novas epidemias globais. Barry crê que, nesses casos, a principal arma é sempre a informação. + COMPRE SEU EXEMPLAR 

A bailarina da morte: a gripe espanhola no Brasil

No início do século XX, uma doença chegou ao Brasil a bordo de navios vindos da Europa. A gripe espanhola, como ficou conhecida a explosão pandêmica de uma mutação particularmente letal do vírus H1N1, matou dezenas de milhares de pessoas no país e cerca de 50 milhões no mundo inteiro.
Altamente contagiosa, a moléstia atingiu todas as regiões brasileiras. A “influenza hespanhola” paralisou a economia e desnudou a precariedade dos serviços de saúde. Disputas políticas e atitudes negacionistas de médicos e governantes potencializaram o massacre, que vitimou sobretudo os pobres. Iludida por estatísticas maquiadas e falsas curas milagrosas, a população ficou à mercê do vírus até o súbito declínio da epidemia, no começo de 1919.

A partir de um vasto acervo de fontes e imagens da época, Lilia Moritz Schwarcz e Heloisa Murgel Starling recriam o cotidiano da vida e da morte durante o reinado de terror da “gripe bailarina”, uma das maiores pandemias da história, e revelam trágicas semelhanças com a Covid-19. + COMPRE SEU EXEMPLAR

A vacina no banco dos réus: mitos e verdades sobre as vacinas

As vacinas estão entre as descobertas científicas que mais causam desconfiança nas pessoas. Muitos as veem como fundamentais na melhoria da saúde da população, enquanto outros têm receio de seu uso. Ao meio a verdades não ditas, mitos e teorias da conspiração, o que é fato e o que é mito em torno das vacinas? Como surgiu a primeira vacina, quem foram os pioneiros, como é produzida e quais são os efeitos colaterais? Vacinas podem causar mortes? Podem causar o autismo em crianças? Se essas perguntas lhe intrigam, esse livro é para você.

Em A Vacina no Banco dos Réus, você irá fazer uma viagem através da história da vacina, desde o seu princípio aos tempos atuais, e até mesmo as perspectivas futuras do seu uso. Por meio desta viagem, você ficará por dentro de como as vacinas evoluíram através do tempo, de curiosidades históricas e dos seus reais potenciais riscos. Embarque nesta viagem e descubra o mundo das vacinas. + COMPRE SEU EXEMPLAR

Vacinar, sim ou não?: um guia fundamental

Desde o surgimento da primeira vacina, no fim do século XVIII, centenas de milhares de mortes foram evitadas e dezenas de moléstias, combatidas. Estima-se que, nos últimos dois séculos, as vacinas proporcionaram um aumento de cerca de 30 anos em nossa expectativa de vida. Porém, nos últimos anos, um grande movimento internacional contra as vacinas tem chamado a atenção de pais, profissionais de saúde e educadores. Partindo de informações contraditórias e de dados sem comprovação científica, seus membros alegam ter o direito de escolher vacinar ou não os filhos. No entanto, essa decisão, que de início parece individual, tem consequências coletivas, fazendo por vezes ressurgir epidemias que se consideravam erradicadas.

Escrito por dois pediatras e um infectologista, todos com vasta experiência em imunização, este livro apresenta: um histórico do surgimento e da consolidação das vacinas; os benefícios da imunização para a saúde individual e coletiva; os mitos – pseudocientíficos e religiosos – associados a elas, como o de que a vacina tríplice viral provoca autismo; as respostas da ciência a esses mitos; as consequências da não vacinação para os indivíduos e a comunidade; as reações adversas esperadas e como agir caso isso aconteça; as implicações éticas e legais da vacinação compulsória. + COMPRE SEU EXEMPLAR

A Geopolítica da Vacina: como as nações estão envolvidas na corrida para vencer o vírus e o que está em jogo por trás de tudo isso

A criação e fabricação da vacina que virá dar um fim à disseminação do vírus da Covid-19, é hoje tarefa de vida ou morte para a humanidade. Este livro ajuda a esclarecer os caminhos que estão sendo percorridos por nações e governantes responsáveis pelas pesquisas e produção de um imunizante efetivo. Thiago de Aragão, sociólogo e pesquisador, se utiliza da Geopolítica para analisar a guerra pela informação e a pressão exercida sobre os cientistas e instituições envolvidas na pesquisa. + COMPRE SEU EXEMPLAR


Leia mais >> O que vem sendo escrito sobre a Covid-19?

Imagem padrão
Bruna Bengozi
Bruna é mestra em História pela USP e graduanda em Letras pela Univesp. Redescobriu (e redescobre) o amor pelos livros, pela música e pela vida. Aguarda ansiosamente a queda do capitalismo e do patriarcado. Sofre de "síndrome da impostora".
Artigos: 239

Assine nossa newsletter

Toda semana um resumo com os principais conteúdos da revista em seu e-mail!

Deixe um comentário