Educação e informação é um tema mais que necessário nas escolas. Como professores e toda comunidade escolar podem ajudar jovens a identificar Fake News?

De acordo com uma pesquisa da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), 7 em cada 10 jovens de até 15 anos no Brasil não distinguem fatos de opiniões. Essa falta de habilidade e educação midiática pode ser um instrumento perigoso quando o assunto é desinformação e propagação de discursos de ódio, por exemplo. Para a psicóloga do Marista Escola Social Ecológica, Bianca Ferreira de Larangeira, as notícias falsas podem ser tão atrativas justamente porque não retratam a realidade. “Seja uma solução fácil para uma doença, ou uma explicação mirabolante para uma questão, as fake news extrapolam a realidade e unem pessoas em torno de uma causa comum”, explica. 

Para combater esse quadro, o caminho mais certeiro é a educação e a informação, afirma a coordenadora do Ensino Fundamental Anos Finais do Colégio Marista Paranaense, Claudia Martins de Souza. “Depois da alfabetização tradicional, é essencial investir também na alfabetização digital. Ou seja, usar a internet de forma responsável, com discernimento, senso crítico e respeito para que o ambiente online seja civilizado e construtivo”, analisa. Para trabalhar essa habilidade, o projeto “Fake ou News?” estimula estudantes do 8o ano do Ensino Fundamental a analisar e debater diferentes materiais durante as aulas do componente curricular Conexão XXI.

Durante o ano, os alunos se familiarizam com a linguagem científica e tecnológica e pesquisam temas de seu interesse para se aprofundar seus conhecimentos para identificar Fake News. O professor atua como mediador, orientando a aplicação do método científico e elaboração de hipóteses e resolução de problemas. Em meio a discussões e pesquisas, os adolescentes aprendem a defender ideias e pontos de vista, assim como negociar respeitosamente e aceitar opiniões diferentes da sua.

Como identificar se uma notícia é verdadeira ou falsa? Conheça 7 dicas para identificar fake news

  • Preste atenção nas fontes de apoio. Ou seja, consulte as referências impressas e os links que foram citados ao longo do texto. Se uma notícia não tiver referências, desconfie. 
  • É um fato ou uma opinião pessoal? Artigos opinativos disfarçados de notícia podem trazer apenas a opinião de uma pessoa, não conter informações completamente verídicas e até vir carregada de preconceito ou outras informações tendenciosas.
  • Analise como a informação chegou até você. Se foi por meio de redes sociais, redobre suas suspeitas. Seu colega, familiar ou amigo costuma checar as informações antes de compartilhar? Caso contrário, confira a veracidade e avise as pessoas envolvidas na conversa se desconfiar de algo. 
  • Lembre-se de verificar a data da publicação. Não tire conclusões precipitadas com base apenas nos títulos e avalie se o conteúdo não é uma piada, um meme da internet. 
  • A alta frequência de erros ortográficos em um texto, é uma característica marcante em textos falsos, fique de olho! Uso de ironia, termos exagerados ou soluções simples demais para problemas complicados, também são indícios de fraude.
  • Se ainda restarem dúvidas, você pode consultar especialistas da área. Professores, bibliotecários, pesquisadores e outros profissionais podem ajudar. Eles podem ter conhecimentos prévios relacionados àquela informação que você busca identificar se é verdadeira ou não.
  • Compartilhe apenas depois de checar os fatos. Lembre-se que as notícias falsas, muitas vezes possuem um caráter alarmante e que isso faz com que elas se espalhem ainda mais. Por esse e outros motivos, é importante ter responsabilidade na hora de divulgar informações.

Dicas de livros:

identificar fake news

Pós-verdade e fake news: reflexões sobre a guerra de narrativas

Desprezo pelo jornalismo tradicional, negação de evidências científicas, disseminação do ódio – na era da pós-verdade e das fake news, o sonho da comunicação sem intermediações que a internet e as redes sociais pareciam anunciar transformou-se em uma realidade tão preocupante quanto perigosa, capaz de ameaçar a existência da democracia tal qual a conhecemos. Entender o funcionamento de elementos como os bots, a indústria de notícias falsas e os algoritmos é o primeiro passo para deter a avalanche de obscurantismo e manipulação que atinge o Brasil e o mundo. + AMAZON

Como Não Ser Enganado Pelas Fake News

Como não ser enganado pelas fake News é um livro sobre o nosso tempo: uma época em que há muitas notícias circulando, mas poucas que realmente têm a ver com o que nos interessa, seja como indivíduos que tentam sobreviver a esse mar de desinformação, seja como cidadãos que querem entender o que realmente está acontecendo. Este é um livro para quem quer ler a notícia com olhos curiosos, para quem quer descobrir o que não está escrito ou ilustrado. Um livro para quem quer ser leitor, e não apenas consumidor de notícias. + AMAZON

identificar fake news

As fake news como crime no Brasil pós-pandemia: introdução à verdade sobre as notícias fraudulentas a partir da Psicologia das Massas

Com base nas contribuições teóricas de Gustave Le Bon e Sigmund Freud, é possível concluir que as fake news são um fenômeno de massas. A análise do funcionamento e mecanismo das fake news como forma de manipulação dos indivíduos permite o entendimento de que elas podem ser consideradas uma espécie de fraude que viola o direito à informação e corrompe a liberdade de escolha e autonomia da vontade individual.  + AMAZON

Leia mais: Como ler para crianças em 9 dicas infalíveis!

Share.