[Editorial 2] A linguagem que nos une e nos separa

Vivemos na era das imagens, na verdade, da overdose de imagens, seja nas telas dos celulares, nos computadores, nas TVs cada vez mais finas e smart. Mas mesmo as imagens, que buscam comunicar algo, são permeadas por algo fundamental: a palavra. E as palavras têm o poder para criar laços e até curar, assim como possuem a capacidade para nos separar, até nos destruir.

No editoral de fevereiro, a Revista Digital Livro & Café buscará discutir como a linguagem nos une e nos separa e qual a importância da linguagem para a comunicação – seja ela positiva ou negativa. Além disso, em tempos de valorização da ignorância e da pós-verdade, é necessário refletir sobre o acesso ao conhecimento e o modo como consumimos as informações e as linguagens em si, por exemplo, como temos contato com a literatura atualmente diante da proliferação de canais do Youtube dedicados ao tema.

Traremos entrevistas, artigos e notícias sobre o papel da linguagem para que possamos promover atividades cada vez mais desvalorizadas: a leitura atenta e o debate saudável.

Das referências, não podemos deixar de citar Noam Chomsky e seus estudos tão esclarecedores sobre a linguagem e seus mecanismos de comunicação e discurso. Também temos que olhar para os autores clássicos e aprender com eles. Do incrível “Grande Sertão: Veredas”, que elevou a nossa língua para lugares inimagináveis, aos livros contemporâneos, desde best-sellers aos que já chegaram mostrando para o que vieram.

Parafraseando Saramago, “se podes ler, repara”! Vem com a gente!

Bruna Bengozi e Francine Ramos
Editoras

Avatar
Francine Ramos

Faz da Livro&Café parte essencial de sua vida desde 2011. É professora de Língua Portuguesa, adora ler, escrever (um dia vai publicar um livro) e trabalhar com mediação de leitura. Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Não há comentários. Seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu e-mail não será publicado