São Bernardo (Graciliano Ramos): as profundezas do ser

Compartilhe:

De Graciliano Ramos eu conhecia Vidas Secas, que li na época da escola. A lembrança maior sempre foi a cachorra Baleia, porque sempre vi graça num bicho com nome de outro. E também tem a cena da morte da Baleia que é tão linda. Mas estamos aqui para falar do livro São Bernardo.

Quem conta a história é o próprio protagonista, Paulo Honório, um homem simples, porém ousado, que consegue sobreviver a uma vida difícil e pobre até se tornar dono da fazenda São Bernardo.

Linguagem simples

Paulo Honório conta a sua história e deixar o leitor à vontade para aceitar a sua linguagem simples, de um homem que aprendeu pela vida e não pela escola, como ele mesmo diz. Assim, ao revelar logo no início o seu despreparo com as palavras, assume um papel de amigo do leitor, que o aceita sem duvidar, diferente dele mesmo, um homem que desconfia de todos que estão à sua volta, uma atitude comum entre pessoas que constroem fortunas.

Aos 30 e poucos anos Paulo Honório decide se casar. Sua fazenda prospera, as amizades são boas, mas ele sente falta de uma mulher e assim conhece Madalena, uma professora muito simples, criada por uma senhora, a dona Glória que, a pedido de Paulo Honório também se muda para São Bernardo após o casamento.

A busca de um final feliz

Paulo Honório, assim como sabemos sobre histórias clássicas, quer um final feliz. Ele acredita que depois de ter levantando sua fazenda, nada de mal poderia lhe acontecer e vê o casamento como a última peça de seu jogo perfeito. Porém (se não tivesse o porém a história terminaria), as diferenças entre Paulo e Madalena começam a ser maiores que a empatia que eles demostraram sentir quando se conheceram e então a vida de Paulo ganha agonia, desespero, despreparo e ciúme, muito ciúme, o que nos faz lembrar Dom Casmurro.

Um dos pontos de interrogações do livro é a personagem Madalena, que conhecemos somente pelos olhos de Paulo, que a vê como uma mulher doce, boa, justa, mas também muito misteriosa e, como ele mesmo diz, com pensamentos comunistas. E ele, todo capitalista com sua fazenda perfeita e funcionários mal remunerados fica realmente revoltado com a postura de sua mulher.

A política

Paulo Honório também é envolvido com a política da cidade, possui certa influência e acredita que o mundo só tem a ganhar com o capitalismo. Sua fama, devido à forma como “subiu na vida” sempre esteve na boca do povo e nos jornais da cidade, que desconfiam de sua honestidade e bondade.

Paulo desconhece os trejeitos da vida; de como conviver; de como se aproximar; de como conhecer realmente as pessoas. Antes de Madalena, quem conviva com ele o respeita devido ao seu dinheiro e a fama de mau. Mas Madalena surgiu na vida de Paulo como uma grande incógnita, como algo que ele nunca conseguiu alcançar verdadeiramente, mesmo com ela dormindo todos os dias ao seu lado.

A relação dos dois é o principal da história, pois num capítulo acreditamos em Paulo, em outros temos a certeza que ele está louco, mais um capítulo sofremos com Madalena, em outro desconfiamos dela.

Com a história simples sobre a rotina na fazenda São Bernardo, Graciliano Ramos consegue adentrar nas profundezas do ser humano. Todos os personagens são incríveis, complexos, bons e maus. E mesmo com toda a maravilhosa clareza de seu texto, fica o mistério, daqueles que vamos recordar para sempre, como um exemplo.

Onde Comprar São Bernardo (Graciliano Ramos): Amazon

Compartilhe:
Imagem padrão
Francine Ramos
Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Assine nossa newsletter

Toda semana um resumo com os principais conteúdos da revista em seu e-mail!

Deixe um comentário