Meu Coração Desnudado (Charles Baudelaire)

Charles Baudelaire foi um poeta francês que viveu entre 1821 a 1867. Ele é considerado, junto de Walt Whitman, fundador da tradição moderna na poesia. Sua vida, boêmia e escandalosa, é comentada até os dias de hoje.

Recebi da Editora Autêntica o livro “Meu Coração Desnudado” (tradução e organização de Tomaz Tadeu), que contém anotações do poeta que, na época, foram encontradas em pequenos papéis soltos e transformadas num livrinho muito interessante. Entre frases que parecem soltas e incompletas, é possível captar o estilo incisivo de Baudelaire e também o formato social e político da época.

[88]
Somos a cada momento, atropelados pela ideia e pela sensação do tempo. E só há dois meios de escapar desse pesadelo, de esquecê-lo: o prazer e o trabalho. O prazer nos consome. O trabalho nos fortifica. Escolhamos.
Quanto mais nos servimos de um desses meios, mais o outro nos inspira repugnância.
Só podemos esquecer o tempo se o utilizamos.
Nada se faz senão pouco a pouco.

Charles Baudelaire. Meu Coração Desnudado. Editora Autêntica, p. 82.


Avatar
Francine Ramos

Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

11 Comentários
  1. Caramba Francine seu blog cresceu muito! Preciso de umas dicas suas! Lembro Até Hoje do primeiro sorteio que você mesma decidiu fazer, com um livro da Virginia Wollf, eu até participei mas nao ganhei…hehe :p
    Ah e falando em outra coisa seu TCC será sobre ela?! Pois me lembro bem que tinhas me dito uma vez que adorarias falar sobre ela.

    Abraço e sucesso! ;D

  2. Eu não conhecia o poeta, mais gostei muito. Vou procurar mais informações sobre ele.
    Amo poesias, influência da minha mãe *-*
    Vou participar, adorei a dica.

  3. A primeira vez que eu tive contato com o Baudelaire foi numa aula de literatura. E eu achei que tivesse alguma relação com os órfãos Baudelaire, só que não. Mas ele é bem dark, então…

    1. Ele é muito dark! Quero ler As Flores Do Mal, dizem que é incrível. Conheci um pouco sobre esse escritor numa palestra na faculdade, desde então, estou curiosa pela obra dele. Tem um ensaio dele chamado “O pintor da vida moderna”, ele faz uma panorama sobre a arte moderna, é muito bom.

Deixe um comentário

O seu e-mail não será publicado