Listas

10 autobiografias de mulheres para ler e se inspirar

Que o futuro já é e será também das mulheres ninguém mais duvida! E para se inspirar nos caminhos tão singulares das mulheres, que tal ler autobiografias de mulheres? Confira abaixo uma lista inspiradora! Temos escritoras, atrizes, militantes e muito mais!

1. Prólogo, ato, epílogo: Memórias (Fernanda Montenegro)

E para começar esta lista de autobiografias de mulheres, temos a rainha Fernanda Montenegro! “Fernanda encarna o melhor do Brasil. Não surpreende que alguém que passou a vida memorizando textos tenha desenvolvido notável capacidade de rememorar com sutileza fatos ocorridos décadas atrás. A atriz que há anos encanta multidões em palcos e telas pelo mundo agora se mostra uma contadora de histórias de mão-cheia.” + AMAZON

autobiografias

2. Em busca de mim (Viola Davis)

A internacionalmente aclamada atriz Viola Davis narra em sua biografia, Em busca de mim, tudo o que viveu desde a infância difícil até o estrelato. Nesta biografia você vai conhecer uma garotinha chamada Viola, que fugia de seu passado até tomar a transformadora decisão de parar de fugir para sempre. + AMAZON

autobiografias

3. Minha história (Michelle Obama)

Em suas memórias, um trabalho de profunda reflexão e com uma narrativa envolvente, Michelle Obama convida os leitores a conhecer seu mundo, recontando as experiências que a moldaram — da infância na região de South Side, em Chicago, e os seus anos como executiva tentando equilibrar as demandas da maternidade e do trabalho, ao período em que passou no endereço mais famoso do mundo. + AMAZON

autobiografias

4. Rita Lee – uma autobiografia

Do primeiro disco voador ao último porre, Rita é consistente. Corajosa. Sem culpa nenhuma. Tanto que, ao ler o livro, várias vezes temos a sensação de estar diante de uma bio não autorizada, tamanha a honestidade nas histórias. A infância e os primeiros passos na vida artística; sua prisão em 1976; o encontro de almas com Roberto de Carvalho; o nascimento dos filhos, das músicas e dos discos clássicos; os tropeços e as glórias. Está tudo lá… Viva o rock! + AMAZON

autobiografias

5. Angela Davis – uma biografia

Em uma lista de autobiografias de mulheres como deixar de fora Angela Davis? Impossível! A obra é um retrato contundente das lutas sociais nos Estados Unidos durante os anos 1960 e 1970 pelo olhar de uma das maiores ativistas de nosso tempo. Davis, à época com 28 anos, narra a sua trajetória, da infância à carreira como professora universitária, interrompida por aquele que seria considerado um dos mais importantes julgamentos do século XX e que a colocaria, ao mesmo tempo, na condição de ícone dos movimentos negro e feminista e na lista das dez pessoas mais procuradas pelo FBI. + AMAZON

6. O que aprendi com o silêncio – Monja Coen

Monja, jornalista, pensadora. Por trás da figura serena e sempre alegre, existe uma das maiores personalidades brasileiras da atualidade. Suas convicções são precisas e duradouras, mesmo que transmitidas de maneira doce e leve. Seus ensinamentos têm formado uma geração livre de preconceitos religiosos e focada na evolução do eu interior, na liberdade dos pensamentos, no controle do ego e principalmente na possibilidade de ser zen em um mundo caótico. Aqui, Coen Roshi conta sua história com um olhar inusitado. + AMAZON

7. Uma autobiografia – Agatha Christie

Nesta lista de autobiografias de mulheres, como deixar de fora a rainha dos romances policiais? “… Agatha Christie morreu mantendo sua vida pessoal escondida do público. Até que, após sua morte, o silêncio foi finalmente quebrado com a publicação de Uma autobiografia, obra que ela escreveu ao longo dos anos. Desde a infância, passando pelos dois casamentos e o serviço voluntário na Segunda Guerra Mundial, a Rainha do Crime retrata, em seu estilo único, os momentos mais importantes da trajetória fenomenal que a consagrou como autora de alguns dos livros mais vendidos em toda a história.” + AMAZON

Conheça 10 Motivos para ler Agatha Christie, a rainha do crime

8. Autobiografia precoce – Pagu

Escrito em 1940, após uma das 23 vezes que Pagu sai da prisão, Autobiografia precoce fala sobre a militância política, os filhos, os relacionamentos e várias outras camadas da vida de uma das mulheres mais emblemáticas do Brasil.
O texto mostra Pagu sem subterfúgios, de forma sincera e corajosa. Do lado pessoal, ela relata sua iniciação sexual precoce e o conturbado casamento com Oswald de Andrade; da vida pública, ela conta sobre a militância no Partido Comunista e o desencanto com o regime soviético. + AMAZON

9. Para poder viver: A Jornada De Uma Garota Norte-coreana Para A Liberdade (Yeonmi Park)

Yeonmi Park não sonhava com a liberdade quando fugiu da Coreia do Norte. Ela nem sequer conhecia o significado dessa palavra. (…) Era o começo de um périplo que a levaria pelo submundo chinês de traficantes e contrabandistas de pessoas, a uma travessia pela China através do deserto de Gobi até a Mongólia, à entrada na Coreia do Sul e, enfim, à liberdade. Neste livro, Yeonmi conta essa história impressionante pela primeira vez. Uma história repleta de coragem, dignidade – e até humor. + AMAZON

10. Eu sou Malala: A história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo Talibã

E para fechar esta lista de autobiografias de mulheres, não dá par deixar de fora a Malala! “Escrito em parceria com a jornalista britânica Christina Lamb, este livro é uma janela para a singularidade poderosa de uma menina cheia de brio e talento, mas também para um universo religioso e cultural cheio de interdições e particularidades, muitas vezes incompreendido pelo Ocidente.” + AMAZON

autobiografias