:: Achados Literários

:: Lançamentos

:: Sorteios

:: Resenhas

Blog

Ariano Suassuna, um êxito

720-300-ariano-s

Quando, no ano passado, o vi no aeroporto eu sabia que “conhecia ele de algum lugar”, foi o Teylor Soares que disse “é o Ariano Suassuna”. Entrei em choque, eu nunca tinha visto um escritor – DE VERDADE em todos os sentidos – na minha frente. Eu só tive coragem de chegar perto dele e pedir uma foto; e agradecer; e mais nada. Mas quando ele sorriu pra mim, lembrei do meu avô Toninho e hoje, sabendo que ele morreu

Carolina de Jesus, Virginia Woolf, Mulheres na Ficção

maria de jesus-thumb-600x414-71598

Nesta semana o site Obvious publicou um artigo com o título “Carolina de Jesus e Virginia Woolf: um quarto para todas as mulheres“. É claro que meus olhos pularam para a tela para conhecer Carolina de Jesus, até então totalmente desconhecida para mim, e eu tive uma maravilhosa surpresa. No livro Um Teto Todo Seu, que eu reli neste mês, Virginia Woolf apresenta para o leitor todo o seu pensamento sobre Mulheres na Ficção e deixa em evidência que as

As Crônicas de Gelo e Fogo – O Festim dos Corvos (George R.R. Martin)

capa-festim-corvos-capa

Um aspecto que não aprecio em certos livros é quando o autor se propõe a seguir determinado modelo de história que abafa o seu mote inicial. Por exemplo: inventam um livro sobre um serial killer que é um palhaço. Daí enquanto se lê o livro, não se tem a sensação de que o matador é realmente um palhaço, mas sim um personagem que é muito parecido com a maioria de livros sobre o tema. O palhaço está simplesmente desenhado na

Sobre “Evelina”, de Frances Burney, lançamento da Editora Pedrazul

capa-Evelina-blog

Se alguém já leu “Evelina” ou qualquer outra obra de Frances Burney aqui no Brasil foi em outro idioma, pois as primeiras leitoras brasileiras foram as privilegiadas Gabriela Alcoforado, a tradutora, e Chirlei Wandekoken, a editora de obras estrangeiras da Pedrazul. Frances Burney era uma das escritoras preferidas de Jane Austen. Podemos afirmar, sem medo de errar, que Austen amava as obras de Burney. Ao longo dos seus 88 anos de vida (1752-1840), Frances Burney escreveu várias obras, sendo que