A primeira fase do Modernismo no Brasil: autores e obras

As 3 fases do Modernismo no Brasil são divididas para uma maior compreensão quanto aos aspectos principais que determinaram o movimento. Sabemos que o Brasil estava vivendo uma grande transformação artística por conta dos desejos e anseios da época em quebrar as regras do passado. Essas mudanças aconteceram de forma tão intensa que se fez necessário dividir o movimento em 3 fases distintas.

Basicamente, o Modernismo levantou bandeiras como: a quebra dos padrões estéticos, a valorização de nossa cultura, o resgate da cultura indígena e o uso da linguagem simples. E, claro, a necessidade de distanciar-se do passado, para que a arte refletisse a sua própria contemporaneidade.

A primeira fase do modernismo

Na Europa, o Modernismo já estava presente e o Brasil, como sempre, “emprestou” as tendências artísticas de lá. No decorrer do século XX, o cubismo, expressionismo, surrealismo, entre outros movimentos de vanguarda, estavam em evidência como mecanismos de ataque ao passado (o romantismo, o realismo, o parnasianismo…). Dessa forma, a cultura e a arte do Brasil também quebraram suas regras. E, portanto, a Semana da Arte Moderna, que ocorreu em 1922, marca esse início, pois trouxe essa postura nacionalista, porém crítica à realidade brasileira.

fases do Modernismo no Brasil
Abaporu, de Tarsila do Amaral. Uma das obras mais conhecidas do Modernismo.

Os principais representantes da primeira fase do Modernismo

Tarsila do Amaral

Impossível pensar nas fases do modernismo e não lembrar de Tarsila do Amaral e sua obra chamada Abaporu, de 1928. Ela, que trabalhou em exposições para fortalecer o movimento, é uma figura muito importante para o início de um dos conceitos do Modernismo: o Movimento antropofágico.

Há dois livros fundamentais para conhecer a vida e a obra de Tarsila do Amaral:

Oswald de Andrade

Compre na Amazon

“…nenhuma fórmula para a contemporânea expressão do mundo. Ver com os olhos livros.” (Manifesto da Poesia Pau Brasil)

Considerado um grande inovador, antes mesmo da Semana de Arte Moderna, Oswald já registrava seu estilo consagrado no Modernismo. Foi casado Tarsila do Amaral e Pagu. Além de manifestos importantes para a época, o autor publicou poesias e romances. Conheça:

Mario de Andrade

“… e vivemos uns oito anos, até perto de 1930, na maior orgia intelectual que a história artística do país registra.”

Compre na Amazon

Para Mario de Andrade (1893 – 1945), a primeira fase do modernismo no Brasil era uma verdadeira “orgia” intelectual”, pois a produção de obras literárias, revistas e manifestos cresciam a todo vapor. Dele, é importante conhecer:

Manuel Bandeira

Que importa a paisagem, a Glória, a baía, a linha do horizonte?
–  O que eu vejo é o beco.

Compre na Amazon

A obra de Manuel Bandeira trouxe uma possibilidade de expandir os horizontes das fases do Modernismo, principalmente nesse primeiro momento, pois transformou temas considerados “bobos e baixos” para a sociedade anterior ao Modernismo, em verdadeiras obras modernas. Conhecido pelo poema “Vou-me embora para Pasárgada“, até hoje, o autor é considerado o “mestre do verso livre”. Algumas coletâneas de suas poesias que valem a pena conhecer:

Alcântara Machado

O autor Antônio Alcântara Machado (1901 – 1935), além de poeta, trabalhou como crítico teatral e jornalista. Viveu pouco, mas deixou sua marca na primeira fase do Modernismo do Brasil com suas crônicas sobre a cidade de São Paulo, a vida urbana e operária da época. Vale a pena conhecer esses dois volumes de contos:

Avatar
Francine Ramos

Faz da Livro&Café parte essencial de sua vida desde 2011. É professora de Língua Portuguesa, adora ler, escrever (um dia vai publicar um livro) e trabalhar com mediação de leitura. Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Não há comentários. Seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu e-mail não será publicado