Início » Literatura Americana em 25 livros essenciais

Literatura Americana em 25 livros essenciais

A Literatura Americana é composta por uma ampla variedade de obras escritas em inglês nos Estados Unidos desde a sua fundação como nação independente em 1776. A literatura americana reflete a diversidade cultural, étnica e linguística do país, abrangendo temas que incluem a identidade nacional, a busca da liberdade, o conflito entre o individualismo e o coletivismo, a relação com a natureza e a exploração do sonho americano. Ao longo dos séculos, passou por diversas fases, incluindo o romantismo, o realismo, o modernismo e o pós-modernismo. Pensando nisso, elaboramos uma lista com 25 livros essenciais para conhecer a Literatura Americana (e sem repetir o autor):

1. Histórias Extraordinárias (Edgar Allan Poe)

“A obra de Edgar Allan Poe é como um bom mistério: uma vez que você começa, não consegue parar até desvendar cada reviravolta na trama, e mesmo assim, fica com uma sensação persistente de desconforto. Um clássico da Literatura Americana! COMPRE NA AMAZON

2. As Aventuras de Tom Sawyer (Mark Twain)

literatura americana

As Aventuras de Tom Sawyer é uma obra importante para a Literatura Americana por ser uma das primeiras a retratar a infância e a vida em uma cidade pequena nos Estados Unidos. O livro de Mark Twain apresenta um olhar crítico e humorístico sobre a sociedade americana da época, além de abordar temas como amizade, liberdade e justiça. Sua linguagem simples e cativante tornou a obra um clássico da literatura infantil e juvenil, influenciando gerações de leitores e escritores. COMPRE NA AMAZON

3. Por quem os sinos dobram (Ernest Hemingway)

literatura americana

“Por quem os sinos dobram apresenta ao leitor uma das mais inesquecíveis histórias de amor da literatura moderna. Tal clássico da literatura trabalha o lado humano dos personagens diante da Guerra Civil Espanhola e, apesar de uma obra de muitas páginas, transcorre em leitura leve e poética. As nuances pessoais e íntimas daqueles que viveram aquele tempo encorpam as páginas do que se apresenta como obra histórica do conflito espanhol.” COMPRE NA AMAZON

4. O grande Gatsby (F. Scott Fitzgerald)

literatura americana
Edição de Luxo da editora Excelsior

“O Grande Gatsby” é um dos livros mais importantes da literatura americana. Escrito por F. Scott Fitzgerald e publicado em 1925, o livro é uma crítica social contundente da chamada “Era do Jazz”, período de prosperidade econômica e extravagância que marcou os Estados Unidos após a Primeira Guerra Mundial. Além disso, “O Grande Gatsby” é um retrato profundo das relações humanas, do amor e da ilusão. COMPRE NA AMAZON

5. O som e a fúria (William Faulkner)

O som e a fúria, de 1929, é considerada a obra mais importante do escritor norte-americano ganhador do prêmio Nobel de Literatura em 1949. O romance surgiu em um período de isolamento, depois que o autor teve seu terceiro romance recusado por diversas editoras. Abalado, William Faulkner investiu num estilo ousado, tecido por quatro vozes narrativas distintas e saltos inesperados no tempo. + AMAZON

literatura americana

6. Amada (Toni Morrison)

O livro mais conhecido da escritora americana Toni Morrison, prêmio Nobel de Literatura de 1993, Amada ganhou o Pulitzer de 1988 e em 2006 foi eleito pelo New York Times a obra de ficção mais importante dos últimos 25 anos nos Estados Unidos. Em 1998 recebeu uma adaptação cinematográfica – Bem-amada –, com Oprah Winfrey no papel principal.
Sethe é uma ex-escrava que, após fugir da fazenda em que era mantida cativa com os filhos, foi refugiar-se na casa da sogra em Cincinatti. No caminho, ela dá à luz um bebê, a menina Denver, que vai acompanhá-la ao longo da história. A relação familiar, bem como os traumas do passado escravizado, transformarão a vida e o futuro de ambas de forma irreversível. + AMAZON

literatura americana
Nova edição da Companhia das Letras

7. Precisamos falar sobre o Kevin (Lionel Shriver)

Lionel Shriver realiza uma espécie de genealogia do assassínio ao criar na ficção uma chacina similar a tantas provocadas por jovens em escolas americanas. Aos 15 anos, o personagem Kevin mata 11 pessoas, entre colegas no colégio e familiares. Enquanto ele cumpre pena, a mãe Eva amarga a monstruosidade do filho. Entre culpa e solidão, ela apenas sobrevive. A vida normal se esvai no escândalo, no pagamento dos advogados, nos olhares sociais tortos. + AMAZON

8. Esta Valsa é Minha – Ella Fitzgerald

Escrito em um hospital psiquiátrico em apenas seis semanas, Esta valsa é minha é, ao mesmo tempo, um texto autobiográfico, um relato de época e um irrecusável convite para penetrar um universo feminino, alegre e sensível, mas também carregado de desilusões. Num texto denso, Zelda reordena suas ideias através da personagem Alabama Knight: fala da infância à sombra de um pai austero, dos namoros e da adolescência no sul dos Estados Unidos no período entreguerras, da vida com um artista na era do jazz, do sonho de se tornar uma bailarina profissional, das viagens à Europa, das festas e do álcool. Imagens inusitadas e a visão de um vazio cortante pontuam a narrativa de Zelda, uma mulher fascinante que, a exemplo de seu alter ego, jamais se conformou em ser apenas esposa de F. Scott Fitzgerald. Enquanto ele trabalhava em Suave é a noite – que muitos críticos consideram sua obra-prima -, Zelda preparava sua própria versão daquela mesma história. + AMAZON

LEIA A RESENHA: Esta Valsa é Minha (Zelda Fitzgerald): qual é o limite entre genialidade e loucura?

9. Folhas de relva Walt Whitman

Whitman, que também foi jornalista, romancista, ensaísta e carpinteiro, causou uma revolução na poesia norte-americana e mundial com seu Leaves of Grass. Marco da poesia moderna, sua influência foi e é sentida dentro e fora dos Estados Unidos, em várias gerações de poetas, escritores, artistas e pensadores das mais diversas áreas. Leaves of Grass pode ser visto como um grande épico da democracia. Walt Whitman: o poeta da democracia, do humanismo, do amor e verso livres, do otimismo e da liberdade. + AMAZON

10. Poesia completa (Emily Dickinson)

literatura americana

Emily Dickinson foi uma escritora norte-americana do século XIX, conhecida por sua poesia intensa, concisa e altamente emocional. Embora tenha vivido a maior parte de sua vida isolada em sua casa em Amherst, Massachusetts, seus escritos abrangem uma ampla gama de temas, incluindo amor, morte, natureza, religião e existência humana. Dickinson é considerada uma das maiores poetas da língua inglesa e seu estilo inovador e único influenciou profundamente a literatura moderna. Embora sua obra tenha sido pouco conhecida em vida, Dickinson é agora amplamente lida e estudada em todo o mundo.

11. A mão esquerda da escuridão (Ursula K. Le Guin)

A mão esquerda da escuridão é um romance de ficção científica escrito por Ursula K. Le Guin, publicado em 1969. Ele é considerado um dos mais importantes livros de ficção científica já escritos e um marco na literatura americana. O livro apresenta um mundo fictício onde os seres humanos não possuem gênero, e a história é contada através dos olhos de um humano enviado para esse mundo em uma missão diplomática. A obra é notável por sua exploração de temas como identidade de gênero, política, relações interpessoais e ecologia, bem como por sua habilidade em criar um mundo fictício complexo e bem desenvolvido. O livro ganhou vários prêmios, incluindo o prestigioso Prêmio Nebula de 1969 e o Prêmio Hugo de 1970. + AMAZON

Conheça outros livros da autora aqui

12. Eu sei por que o pássaro canta na gaiola (Maya Angelou)

“Eu sei por que o pássaro canta na gaiola” é um livro autobiográfico da escritora norte-americana Maya Angelou, publicado em 1969. A obra é uma narrativa poderosa sobre a infância e adolescência da autora, que enfrentou dificuldades como racismo, pobreza e abuso sexual. + AMAZON

literatura americana

13. O Iluminado (Stephen King)

Publicado em 1977, “O Iluminado” é um livro de terror psicológico que conta a história de Jack Torrance, um escritor em crise que aceita um emprego de zelador em um hotel isolado nas montanhas do Colorado, com a esposa e o filho pequeno. Conforme a história se desenrola, Jack começa a perder a sanidade e a violência se desencadeia. “O Iluminado” é uma obra importante para a literatura americana por diversas razões. Primeiramente, King é considerado um dos escritores mais importantes do gênero de terror, e o livro ajudou a consolidar sua reputação nesse sentido. Além disso, a obra apresenta uma abordagem psicológica complexa e bem construída, com personagens realistas e questões universais como a paternidade, a culpa e a identidade. + AMAZON

RESENHA: O Iluminado (Stephen King): livro e filme

14. O Complexo de Portnoy (Philip Roth)

Philip Roth é considerado um dos mais importantes escritores americanos do século XX, e sua obra é amplamente estudada e discutida na academia. Embora seja difícil eleger um único livro como “o mais importante” de Roth, muitos críticos consideram que “O Complexo de Portnoy” é um marco em sua carreira e na literatura americana. Publicado em 1969, “O Complexo de Portnoy” é um romance satírico que conta a história de Alexander Portnoy, um homem de meia-idade que discute suas experiências sexuais e sua relação complicada com sua família judaica. A obra foi muito controversa na época de seu lançamento, mas também foi aclamada por sua coragem e originalidade. + AMAZON

15. O sol é para todos (Harper Lee)

Um dos maiores clássicos da literatura mundial. O sol é para todos ganhou o Prêmio Pulitzer em 1961 e deu origem a um filme homônimo, vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado, em 1962. Lançado pela primeira vez em 1960, até hoje vende mais de um milhão de cópias por ano em língua inglesa. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça. + AMAZON

literatura americana

16. A volta do parafuso (Henry James)

Henry James é um dos mais importantes escritores americanos do século XIX e início do século XX, tendo produzido uma vasta obra literária. Entre seus romances mais importantes, destaca-se “A volta do parafuso” (The Turn of the Screw), publicado originalmente em 1898. + AMAZON

17. O apanhador no campo de centeio (J.D. Salinger)

Um dos romances mais revolucionários do século XX, O apanhador no campo de centeio é a representação definitiva da juventude na literatura. Com mais de 70 milhões de cópias vendidas desde seu lançamento em 1951, o livro influenciou e marcou gerações de leitores com sua visão crua da adolescência, sua prosa ágil e desbocada e seu humor feroz e anárquico. + AMAZON

18. Moby Dick (Herman Melville)

literatura americana

das maiores obras-primas da literatura mundial. A história narra a jornada do capitão Ahab e sua tripulação em busca da baleia branca, chamada Moby Dick, que havia arrancado a perna de Ahab em um encontro anterior. A importância da obra está relacionada a diversos aspectos. Em primeiro lugar, “Moby Dick” é um marco na literatura americana e mundial, sendo um exemplo da literatura romântica do século XIX. O livro é considerado uma obra pioneira no uso de técnicas narrativas complexas, como a interrupção do enredo principal para a inclusão de reflexões filosóficas e científicas sobre temas variados. + AMAZON

19. As vinhas da ira (John Steinbeck)

Publicado em 1939, As vinhas da ira marcou o auge da carreira de John Steinbeck, vencedor do Nobel de Literatura, e se mantém como um documento social e um marco da literatura. Assim como o livro, o filme, que rendeu um Oscar ao diretor John Ford e foi protagonizado por Henry Fonda, tornou-se um clássico. Dez anos depois da Grande Depressão de 1929, Steinbeck criou um manifesto perene com foco na luta dos excluídos. As vinhas da ira representa o confronto entre indivíduo e sociedade, através da epopeia da família Joad, expulsa pela seca dos campos de algodão de Oklahoma, para tentar sobreviver como boias-frias nas plantações de frutas do Vale de Salinas, na Califórnia. + AMAZON

20. On the road (Jack Kerouac)

literatura americana

A obra “On the Road” (“Pé na Estrada”, em português), escrita por Jack Kerouac e publicada em 1957, é um dos principais marcos da literatura beatnik e da contracultura americana do século XX. A importância da obra está relacionada a diversos aspectos. Em primeiro lugar, “On the Road” é um retrato da geração de jovens americanos da década de 1950 que buscavam liberdade, experiências e aventura na estrada. A obra é considerada um hino à cultura da contracultura e da boemia, que rejeitava os valores conservadores da sociedade da época. Além disso, a obra é uma narrativa de estilo espontâneo e fragmentado, que reflete a própria visão de Kerouac sobre a vida e a literatura. A prosa de Kerouac é famosa por ser fluida e poética, e por ter influenciado a literatura americana posterior. + AMAZON

21. O quarto de Giovanni (James Baldwin)

Lançado em 1956, o segundo romance de James Baldwin é uma obra-prima da literatura americana. Com pinceladas autobiográficas, o livro trata de uma relação bissexual ao acompanhar David, um jovem americano em Paris à espera de sua namorada, Hella, que por sua vez está na Espanha. Enquanto ela pondera se deve ou não se casar com David, ele conhece Giovanni, um garçom italiano por quem se apaixona. + AMAZON

22. O arco-íris da gravidade (Thomas Pynchon)

O arco-íris da gravidade foi desde o seu lançamento (1973) saudado como uma das maiores realizações da ficção em língua inglesa de nossos tempos. É uma narrativa picaresca, ambientada na Europa devastada do final da Segunda Guerra e nos primeiros momentos do pós-guerra. A linguagem e a técnica narrativa evocam o clima da contracultura norte-americana dos anos 60 e 70 – drogas, rebelião, oposição à guerra do Vietnã. O estilo caracteriza-se pelo uso das mais variadas técnicas da cultura de massas – o desenho animado, o filme B, a história em quadrinhos, o livro pornográfico – e aproveita o jargão científico e tecnológico com que os meios de comunicação nos familiarizam cada vez mais. + AMAZON

23. Ruído Branco (Don Delillo)

“Ruído Branco” é um dos romances mais notáveis do escritor americano Don DeLillo. A obra apresenta diversas qualidades que a tornam uma leitura cativante e instigante. Entre elas, destaca-se a habilidade do autor em criar personagens complexos e intrigantes, que exploram as nuances do comportamento humano em um mundo cada vez mais interconectado. Além disso, o livro é marcado por um humor sutil e uma crítica aguda à sociedade de consumo e à cultura de massa, oferecendo uma reflexão profunda sobre a natureza do ser humano em uma era de tecnologia avançada e mudança constante. A narrativa é habilmente construída, apresentando uma estrutura fragmentada que reflete a complexidade e a imprevisibilidade da vida contemporânea. + AMAZON

24. Eu, Robô (Isaac Asimov)

“Eu, Robô” é um livro de contos de ficção científica escrito pelo autor americano Isaac Asimov, publicado em 1950. A obra é importante para a literatura americana por apresentar uma abordagem inovadora para a ficção científica, ao explorar temas como inteligência artificial, ética e moralidade em histórias interconectadas. Além disso, “Eu, Robô” apresenta as “Três Leis da Robótica”, uma ideia seminal que influenciou toda a ficção científica subsequente sobre robôs e inteligência artificial. A obra de Asimov se tornou um clássico da literatura de ficção científica e abriu caminho para uma nova abordagem de contar histórias sobre o futuro da humanidade e a relação entre seres humanos e máquinas. + AMAZON

25. A redoma de vidro (Sylvia Plath)

A obra de Sylvia Plath chega aos leitores da mesma forma em que é possível imaginá-la entrando em um espaço comum; de uma cidade comum; em dias comuns. No entanto, a presença de Plath nos puxa como a correnteza de uma mar aparentemente calmo. No livro “A redoma de vidro” (lançado em 1963), viveremos a experiência do mergulho completo: autor, personagem, vida, alento e depressão. + AMAZON

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *