O peru de Natal (Mario de Andrade)

Compartilhe:

Mário de Andrade (1893 – 1945) é o autor do romance Macunaíma, “o herói sem nenhum caráter”, e muitos outros romances e poesias escritos com muita elegância.

No conto “O peru de Natal”, narrado em primeira pessoa, temos um rapaz que é considerado “louco” e por isso ele se sente livre para ousar.

O peru de Natal, Mario de Andrade
O escritor Mario de Andrade

A história começa com o relato do rapaz sobre os seus familiares e que, por causa da morte de seu pai no 25 de dezembro, um homem “desprovido de qualquer lirismo, de uma exemplaridade incapaz, acolchoado no medíocre”, a ceia de Natal acontece cinco meses antes, uma forma dos familiares não se sentirem tristes e culpados no dia. Porém, depois de certo tempo, o rapaz considera desnecessária essa atividade familiar e exige que seja preparado um peru no dia do Natal. A família, que o considera louco, vê graça em sua proposta e ao mesmo tempo se sentem livres da obrigação de permaneceram tristes, “culpando” o jovem louco por fazerem uma ceia de Natal no dia correto.

O final, num estilo de malandragem brasileira, traz a felicidade à toda a família e, principalmente, ao rapaz louco que consegue livrar a família do fantasma do pai.

“E todos principiaram muito calmos, falando de papai. A imagem dele foi diminuindo, diminuindo e virou uma estrelinha brilhante do céu.”

Onde comprar livros de Mario de Andrade: Amazon

Leia o conto O Peru de Natal aqui.

Leia também: Mário de Andrade – “A morada do coração partido”

Compartilhe:
Imagem padrão
Francine Ramos
Editora da Livro&Café desde 2011. É professora de Língua Portuguesa e tenta ser escritora (um conto seu foi publicado na coletânea Leia Mulheres, em 2019). Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

Assine nossa newsletter

Toda semana um resumo com os principais conteúdos da revista em seu e-mail!

Deixe um comentário