Barroco: um diálogo entre história, literatura e cinema

Vamos aprofundar os estudos sobre Barroco? Para isso, não há melhor forma do que fazer um diálogo entre história, literatura e cinema! Então, trouxe uma lista de filmes que dão um ótimo contexto histórico e apresenta diversas personalidades do período. Também fiz uma seleção de livros para o seu estudo e curiosidade!

Ah, quer ler sobre as principais características, autores e obras literárias do Barroco? Então acesse o post especial que fiz para a revista.

Agora, vamos aos filmes!

Lutero, de Eric Till

Esse filme conta a história de Martinho Lutero, padre alemão fundador da Igreja Protestante que, após quase ser atingido por um raio, resolveu se juntar à Igreja, mas, diante dos abusos do catolicismo no século XVII, decidiu lutar por mais justiça para os fiéis. [Trailer]

Moça com Brinco de Pérola, de Peter Webber

Em pleno século XVII vive Griet (Scarlett Johansson), uma jovem camponesa holandesa. Devido a dificuldades financeiras, Griet é obrigada a trabalhar na casa de Johannes Vermeer (Colin Firth), um renomado pintor de sua época. Aos poucos Johannes começa a prestar atenção na jovem de apenas 17 anos, fazendo dela sua musa inspiradora para um de seus mais famosos trabalhos: a tela “Girl with a Pearl Earring”. [Trailer]

A Rainha Margot, de Patrice Chéreau

No século XVI um casamento de conveniência é celebrado com o intuito de manter a paz. A união entre a católica Marguerite de Valois, a rainha Margot (Isabelle Adjani), e o nobre protestante Henri de Navarre (Daniel Auteuil) tinha como meta unir duas tendências religiosas. O objetivo do casamento foi tão político que os noivos não são obrigados a dormirem juntos. As intrigas palacianas vão culminar com a Noite de São Bartolomeu, na qual milhares de protestantes foram mortos. Após isto Margot acaba se envolvendo com um protestante que está sendo perseguido. [Trailer]

O Homem da Máscara de Ferro, de Randall Wallace

No século XVII, o cruel Luís XIV (Leonardo DiCaprio) manda clandestinamente para a masmorra o irmão gêmeo que ninguém sabe existir, para tomar o poder. Mas o mosqueteiro Aramis (Jeremy Irons) descobre o segredo e convence seus companheiros a salvar o prisioneiro. [Trailer]

Caravaggio, de Derek Jarman

No filme é retratada a curta vida do pintor italiano Michelangelo Merisi da Caravaggio (Nigel Terry) desde a infância e decepções do início da carreira até os últimos sucessos, a amizade com um cardeal e a relação destrutiva com um lutador (Sean Bean) e sua namorada (Tilda Swinton). [Trailer]

Cena do filme “Caravaggio”. Reprodução.

Mary Stuart, Rainha da Escócia, de John Ford

Mary Stuart (Katharine Hepburn) assume o trono da Escócia para a repugnância da Rainha da Inglaterra Elizabeth I (Florence Eldridge). Em meio a um grande burburinho sobre seu possível marido, Mary escolhe o Lorde Darnley (Douglas Walton) ao invés do Conde de Bothwell (Fredric March). Um golpe político leva à guerra civil e a rainha escocesa deverá arcar com duras consequências. [Trailer]

Mary Stuart, Rainha da Escócia, de Charles Jarrott

O confronto entra a rainha da Escócia (Vanessa Redgrave) e sua prima Elizabeth I (Glenda Jackson), da Inglaterra, é desigual. Enquanto Mary é primeiro mulher e depois rainha, sua prima é exatamente o oposto. No meio desta luta pelo poder existe o delicado problema religioso do confronto entre católicos e protestantes. Elizabeth mostra-se muito mais articuladora e menos sujeita a traições, Mary no entanto tem de lutar contra inimigos de todos os lados, inclusive seu irmão. [Trailer]

As Bruxas de Salém, de Nicholas Hytner

Em Salém, Massachusetts, 1692, algumas jovens fazem “feitiços”. Uma delas, Abigail Williams (Winona Ryder), tinha se envolvido com John Proctor (Daniel Day-Lewis), um fazendeiro casado, quando trabalhou para ele, mas após o fim do caso foi despedida. Assim, desejava a morte de Elizabeth Proctor (Joan Allen), a esposa deste. Elas são descobertas no seu “ritual” e, acusadas de bruxaria, provocam uma histeria coletiva que atinge várias pessoas, sendo que Abby, a jovem desprezada por John, faz várias acusações até ver Elizabeth ser atingida. [Trailer]

O Enigma do Colar, de Charles Shyer

Jeanne de la Motte-Valois (Hilary Swank) é uma jovem que vive na França em pleno século XVIII, pouco antes do início da Revolução Francesa. Ela vive com uma família adotiva, já que sua família verdadeira, oriunda da nobreza do país, fora deixada sem dinheiro e sem nome quando ela ainda era uma criança. Agora Jeanne decide deixar sua atual família para reconquistar seu nome e sua posição na sociedade, mas para isto precisará enfrentar intrigas, desonestidade e lidar com um colar de diamantes que está no centro de tudo. [Trailer]

Amadeus, de Milos Forman

Após tentar se suicidar, Salieri (F. Murray Abraham) confessa a um padre que foi o responsável pela morte de Mozart (Tom Hulce) e relata como conheceu, conviveu e passou a odiar Mozart, que era um jovem irreverente mas compunha como se sua música tivesse sido abençoada por Deus. [Trailer]

Ligações Perigosas, de Stephen Frears

França, 1788. A Marquesa de Merteuil (Glenn Close) precisa de um favor do seu ex-amante, o Visconde de Valmont (John Malkovich), pois seu ex-marido está planejando se casar com uma jovem virgem e ela deseja que o Marquês, que é conhecido por sua vida devassa e suas conquistas amorosas, a seduza antes do dia do casamento. No entanto, ele tem outros planos, pois planeja conquistar uma bela mulher casada (Michelle Pfeiffer), que sempre se mostrou fiel ao marido e é religiosa. A Marquesa exige então uma prova escrita dos seus encontros amorosos e, se ele conseguir tal façanha, ela lhe promete como recompensa passarem uma noite juntos. Mas os jogos de sedução fogem do controle e os resultados são bem mais trágicos do que se podia imaginar. [Trailer]

Elizabeth, de Shekhar Kapur

Inglaterra, 1554. O país está dividido entre católicos e protestantes. Mary Tudor (Kathy Burke) está no poder e é uma católica fervorosa, mas tem um tumor que a deixa com os dias contados. Sua meia-irmã, Elizabeth (Cate Blanchett), uma protestante convicta e a primeira na linha de sucessão. Elizabeth é levada até a rainha, que tenta fazê-la prometer que o país seguirá o catolicismo. Mas, apesar de poder morrer, Elizabeth diz que será fiel sua consciência. Já no leito de morte de Mary Tudor, o Duque de Norfolk (Christopher Eccleston) tenta fazer em vão com que a rainha assine a pena de morte de Elizabeth que, com a morte de Mary, é coroada rainha. Entretanto, Elizabeth herda um país falido, sem exército e com inimigos por todos os lados, até mesmo na sua própria corte, forçando-a a calcular cada passo para permanecer no poder. Inicialmente, ela comete erros graves, mas gradativamente vai se firmando e, sempre aconselhada por Sir Francis Walsingham (Geoffrey Rush), planeja matar todos os seus inimigos para consolidar seu poderio. [Trailer]

Rainha Elizabeth interpretada pela atriz Cate Blanchett. Reprodução.

A Outra, de Justin Chadwick

Anne (Natalie Portman) e Mary (Scarlett Johansson) são irmãs que foram convencidas por seu pai e tio ambiciosos a aumentar o status da família tentando conquistar o coração de Henry Tudor (Eric Bana), o rei da Inglaterra. Elas são levadas à corte e logo Maria conquista o rei, dando-lhe um filho ilegítimo. Porém isto não faz com que Ana desista de seu intento, buscando de todas as formas passar para trás tanto sua irmã quanto a rainha Catarina de Aragão (Ana Torrent). [Trailer]

Aleijadinho – Paixão, Glória e Suplício, de Geraldo Santos Pereira

Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, tomou-se artista famoso com suas esculturas dos Profetas e igrejas inteiras de Ouro Preto e outras cidades brasileiras durante o século XVIII, mas uma doença misteriosa destruiu seus dedos, mãos, braços e tirou sua vida. A história é narrada em forma de flash-back desde o nascimento, infância, juventude, formação artística e cultural até a vida apaixonada e gloriosa.

Cena do filme “Aleijadinho”, que conta a história do artista do Barroco mineiro. Reprodução.

Gregório de Mattos, de Ana Carolina

Em pleno século XVII surge na Bahia o poeta Gregório de Mattos (Waly Salomão), que com sua obra e vida trágicas anuncia o perfil tenso e dividido do povo brasileiro. Com sua produção literária o poeta cria situações desconfortáveis aos poderosos da época, que passam a combatê-lo até transformar sua vida em um verdadeiro inferno. [Filme]

Palavra e utopia, de Manuel de Oliveira

O padre português Antonio Vieira (Lima Duarte), um jesuíta e uma figura religiosa controversa, autor de vários escritos religiosa e politicamente importantes, luta pela liberdade e melhor tratamento dos índios brasileiros e pela abolição da escravidão no Brasil, durante o século XVII. No entanto, a Inquisição portuguesa não pretende deixar o padre levar seus desejos a cabo. [Trailer]

Quilombo, de Carlos Diegues

Em torno de 1650, um grupo de escravos se rebela num engenho de Pernambuco e ruma ao Quilombo dos Palmares, onde uma nação de ex-escravos fugidos resiste ao cerco colonial. Entre eles, está Ganga Zumba, príncipe africano e futuro líder de Palmares, durante muitos anos. Mais tarde, seu herdeiro e afilhado, Zumbi, contestará as idéias conciliatórias de Ganga Zumba, enfrentando o maior exército jamais visto na história colonial brasileira. [Trailer]

Sermões, a história de Antônio Vieira, de Júlio Bressane

Narrativa que mistura o figurativo e o histórico sobre a vida do padre jesuíta Antônio Vieira, que nasceu em Lisboa em 1608 e foi assassinado na Capitania Hereditária de Salvador, em 1697. O enredo é sobre seus famosos sermões, que não são apresentados diretamente através de uma linguagem convencional, típica dos filmes biográficos, mas num estudo experimental editado com diversas cenas de clássicos do cinema universal dos anos 20 e 30. O filme foi idealizado durante doze anos, realizado em onze dias e estreou na televisão antes de entrar no circuito comercial. [Filme]

Livros sobre Barroco

Os Sermões, de Padre Antônio Vieira;

Antologia Poética de Gregório de Matos, organizado por Walmir Ayala

Melhores Poemas, de Gregório de Matos

Antologia da Poesia Barroca Brasileira, de vários autores

Boca do Inferno, de Ana Miranda

O Mundo de Sofia, de Jostein Gaarder

Barroco e Rococó no Brasil, de Miriam Andrade Ribeiro de Oliveira

O Barroco, a arquitetura e a cidade nos séculos XVII e XVIII, de Rodrigo Espinha Baeta

A Cultura do Barroco. Análise de Uma Estrutura Histórica, de José Antonio Maravall

O Sequestro do Barroco, de Haroldo De Campos

 

Já deu para perceber o quanto este tema é rico, não é? Em breve, trarei mais listas sobre o Barroco com músicas, esculturas e muito mais!

#ansiosa

* Imagem de capa: cena do filme “Moça com Brinco de Pérola”, de Peter Webber (2003).

Avatar
Bruna Bengozi

Bruna é mestra em História pela USP, redescobriu (e redescobre) o amor pelos livros, pela música e pela vida. Aguarda ansiosamente a queda do capitalismo e do patriarcado. Sofre de "síndrome do impostor".

Não há comentários. Seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu e-mail não será publicado