4 livros que inspiraram os filmes indicados ao Oscar 2020

Oscar 2020 tem adaptações literárias entre os filmes indicados 

Amanhã, dia 09 de fevereiro, ocorre a 92ª cerimônia de entrega dos Academy Awards, ou Oscar 2020. Também será a data em que meu Joaquin Phoenix vai levar o seu merecido prêmio de Melhor Ator por seu papel em Coringa, mas isso é pauta para outro post (enquanto isso, você pode ler meus comentários sobre grande outro filme protagonizado por ele, O Mestre).

Torcidas à parte, na lista de indicados deste ano há vários filmes que se basearam em obras literárias. Vamos conferir quais são?

 

Mulherzinhas, de Louisa May Alcott

Um clássico da literatura americana, Mulherzinhas reúne um drama familiar, traços de um romance histórico e inspirações autobiográficas de sua autora, Louisa May Alcott. Foi publicado pela primeira vez em 1868. Também conhecido como Adoráveis mulheres, gerou inúmeras sequências em livros e adaptações para o teatro e o cinema ao longo do tempo. A mais recente, o filme de 2019 dirigido por Greta Gerwig e com a participação de grandes estrelas como Laura Dern, Saoirse Ronan e Emma Watson, conseguiu seis indicações ao Oscar 2020. Alcott relata na obra quatro anos na vida das irmãs March – Meg, Jo, Beth e Amy. Enquanto o patriarca luta na Guerra Civil Americana e a mãe tem de trabalhar para sustentar a família, as quatro filhas precisam cooperar entre si para manter a unidade familiar. Mulherzinhas passou à história como a obra-prima de Louisa May Alcott. É um romance moderno e atemporal, que, junto a outros, fez sua autora ser reconhecida como uma escritora que abordou questões feministas de forma leve e aberta. + Compre na Amazon

Leia mais: Filme candidato ao Oscar, “Adoráveis mulheres”, foi inspirado no clássico “Mulherzinhas”

 

O Irlandês, de Charles Brandt

Um relato fascinante sobre um obscuro episódio da história norte-americana: o assassinato de Jimmy Hoffa. A partir da envolvente história de Frank Sheeran temos acesso aos bastidores de um matador de aluguel, que discorre também sobre outros notórios assassinatos e proporciona uma rara visão de como funciona a Máfia. Ao longo de quase cinco anos de entrevistas gravadas, Frank Sheeran confessou que fora responsável por mais de vinte e cinco assassinatos a serviço da Máfia, incluindo o de seu amigo Hoffa. Sheeran aprendeu a matar enquanto esteve no Exército dos Estados Unidos, ao voltar para casa, ele se tornou um assassino de aluguel, trabalhando para o legendário chefão do crime Russell Bufalino. O livro deu origem ao filme da Netflix, dirigido pelo grande Martin Scorsese e com um elenco de peso: Al Pacino, Robert De Niro, Harvey Keitel e Joe Pesci. O Irlandês já garantiu 10 indicações ao Oscar deste ano! + Compre na Amazon

 

Caging Skies, de Christine Leunens

Oscar 2020Depois do desaparecimento de seus pais, o pequeno Johannes, um ávido membro da Juventude Hitlerista nos anos de 1940, descobre que é a única pessoa ciente da existência da menina judia Elsa dentro da casa onde vive, em Viena, durante a Segunda Guerra Mundial. Único responsável pela sobrevivência da garota, o horror inicial de Johannes logo vira interesse, depois amor e obsessão. A obra inspirou o filme Jojo Rabbit, dirigido por Taika Waititi e que traz um elenco experiente, com Scarlett Johansson, Sam Rockwell, Alfie Allen e mais. Por enquanto o livro saiu apenas em inglês, porém, com a publicidade das premiações e com as seis indicações ao Oscar 2020 (incluindo Melhor Filme) torcemos para as editoras nacionais se interessarem pela tradução! + Compre na Amazon

 

Dois Papas: Francisco, Bento e a decisão que abalou o mundo, de Anthony McCarten

Oscar 2020Dois Papas é uma narrativa poderosa que inspirou o novo filme homônimo original da Netflix, estrelado por Anthony Hopkins e Jonathan Pryce, e dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles. Em Dois Papas, o escritor e roteirista, Anthony McCarten faz um exame minucioso da Igreja Católica e seus dois recentes líderes. O autor navega por todas as teorias a respeito da decisão chocante do papa Bento XVI de renunciar ao papado em 2013 e como papa Francisco lidou com sua inesperada chegada ao poder. Com sua renúncia, Bento, um grande defensor do conservadorismo e visto como o homem mais convencional da Igreja Católica, causou espanto não só aos membros da Igreja, como também à imprensa e à população. McCarten avalia essa decisão como uma espécie de culpa por Bento não conseguir assumir uma postura de liderança diante de todos os escândalos envolvendo o Vaticano, incluindo as diversas acusações de abuso sexual. Apesar de seguir um viés mais liberal, o papa Francisco também não é poupado de críticas, seu silêncio sobre as torturas cometidas pelo governo argentino quando ainda era cardeal é exposto e analisado pelo autor. Com uma narrativa intrigante e envolvente, Dois Papas mergulha fundo nas polêmicas do Vaticano e na vida dessas duas figuras tão importantes para a história. + Compre na Amazon



Leia mais:

A peculiaridade do Oscar 2020: Netflix ganha ou não ganha uma estatueta?


Avatar
Bruna Bengozi

Bruna é mestra em História pela USP, redescobriu (e redescobre) o amor pelos livros, pela música e pela vida. Aguarda ansiosamente a queda do capitalismo e do patriarcado. Sofre de "síndrome do impostor".

Não há comentários. Seja o primeiro!

Deixe um comentário

O seu e-mail não será publicado