Espaço da Escrita

Como usei a ficha de personagem para aprofundar os conflitos do meu livro

A ficha de personagem é muito utilizada por quem joga RPG, mas esse documento também pode ser muito útil para quem quer escrever um livro de ficção, seja uma fanfic, ou uma história de fantasia, suspense, ficção científica ou até mesmo ficção literária.

As fichas de personagens foram muito importantes para meu processo criativo. Com elas pude aprofundar um pouco mais os conflitos de personagens que cresceram na história e também aprendi uma coisa interessante: nem toda personagem precisa de uma fica elaborada.

Nesse post vou compartilhar mais detalhes sobre o uso dessa ferramenta para quem escreve.

O que é ficha de personagem?

A ficha de personagem é um documento para anotar as características essenciais de cada um dos integrantes da história.
A principal função da ficha de personagem é manter um registro de fácil acesso para consultar durante a escrita.

É um lugar para revisitar e ajustar quando surgir algum problema ou necessidade de mudança na narrativa.

Mas também pode ser útil para visualizar melhor o arco de cada personagem e escrever sobre ele.

Como criar uma ficha de personagem?

As fichas podem ser criadas em um caderno velho, em um bloco de notas ou em algum aplicativo de organização.
O local correto depende muito de como é a organização da escrita diária. Ou seja, fica a seu critério.

O mais importante aqui é que as fichas estejam acessíveis para consultar a qualquer momento.

Afinal, dar uma lida no formulário de uma figura da história pode ser útil na hora de escrever cenas de diálogos, reações e atitudes que estejam alinhadas com o que se arquitetou para ela.

E, finalmente, esse registro é essencial para os momentos de bloqueio ou quando a história sai do seu controle.

Um modelo básico de ficha de personagem para livro

Esse é o modelo que usei para criar as fichas em meu caderno. Vou listar os principais dados e colocar alguns comentários com base no que aprendi até agora.

Fique à vontade para compartilhar o que você sabe sobre o assunto nos comentários!

Importante lembrar que protagonistas terão uma ficha mais encorpada, enquanto que personagens menos importantes vão ter fichas mais simples.

Outro ponto essencial: você não precisa seguir esse modelo à risca. Em vez de criar um formulário, você pode separar uma folha para cada personagem e anotar o que for importante, sem seguir um roteiro pré-definido.

Ou seja: sinta-se livre para fazer esse registro da forma que fizer sentido para você. Inclusive, você nem precisa fazer, se não sentir necessidade.

(Sei que é meio óbvio afirmar essas coisas, mas meu objetivo é ressaltar que estou apresentando um caminho que usei. Não é a intenção criar regras ou constranger ninguém a seguir meus passos, ok?).

Informações básicas

Nome e/ou apelido
Qual o significado desse nome?
Parece um detalhe insignificante, mas não é. O significado do nome da personagem pode ter relação com o conflito, com a personalidade ou até mesmo o oposto dela. O importante é que seja uma escolha consciente.

Qual é o maior desejo?
Essa é a necessidade dramática, o que guiará a personagem a maior parte do tempo.

Mas, isso não significa um protocolo inquebrável, mas um referencial. Afinal, a vida real é mais complexa do que isso. Uma personagem pode ir contra seu desejo em nome do orgulho, da raiva, da vergonha ou do medo, por exemplo.

Ah, e o desejo, quando não aceito, ele não morre, viu? Fica lá estorvando e uma hora retorno com tudo. Para entender melhor sobre desejo, você pode começar por essa playlist aqui.

Descrição de personagem

Qual será a transformação pela qual passará?

Geralmente é uma mudança interna descrita em uma frase simples. Mas pode ser simbolizada por uma mudança externa.

Apenas tome cuidado com a simbologia das mudanças externas. Uma mulher que faz um procedimento estético para simbolizar uma mudança interna para melhor pode passar uma mensagem problemática.

Ou uma pessoa que sofre um acidente, mutilação ou adquire uma doença como forma de indicar uma mudança interna para pior também pode ser complicado.

Por isso, tome cuidado: na ficção, um charuto nunca é apenas um charuto. Existe um campo simbólico que você precisa entender e aprender a jogar com ele.

Arco narrativo
Faça uma descrição breve do que acontecerá com a personagem durante a história.

Características físicas

Idade, aparência, rosto, pele, cabelo e outras.

Essas características servem de referencial para você, mas na maioria dos casos, não precisam entrar no texto de forma explícita.

Uma pessoa muito alta pode precisar se abaixar para passar por alguma entrada, por exemplo.

Mais uma vez, cuidado com estereótipos e clichês. Tipo: pessoas gordas são necessariamente sedentárias, pessoas magras são atléticas e tem boa resistência física.

Lembra do cara do Los Hermanos: Não, porque nem sempre.

Características básicas

Onde vive?

Personalidade: É intelectual e esperta? Ou é meio folgada e reclamona? Essas coisas são importantes para definir a personagem, mas também para quebrar esse padrão ou servir de base para a transformação dela.

Descreva sua família e a relação da personagem com ela.

Profissão, local de trabalho e sua relação com as pessoas desse ambiente.

Melhores amigos.

Gestos e modo de falar: fala muito ou pouco? Quais tipos de palavras sempre usa? Tem algum vício de linguagem? Um tique?

Hobbies e estilo de vestimenta.

Características emocionais e psicológicas

O que o motiva? Do que sente culpa? Do que tem medo?

3 coisas que mais estima. Pode ser qualquer coisa: um objeto, uma pessoa, um animal, um princípio moral, uma memória, etc.

Sexualidade: A personagem pode ser heterossexual, mas também pode ser LGBTQIA+.

Identidade de gênero: pode ser homem cis, mulher cis, pessoa trans ou não binárie.

Ao representar pessoas diversas, tenha cuidado especial na pesquisa e, se possível, busque uma leitura crítica especializada (ou leitura sensível).

Qual a sua visão sobre seu papel no mundo? Como essa personagem se vê? Ela tem algum senso de propósito?

Como é seu local de repouso? O lugar onde a personagem descansa pode dizer algo sobre ela. Isso não precisa aparecer na história, mas vai te ajudar a entender quem é esse ser.

Outras características importantes

Aqui você pode montar uma pasta no Pinterest com referências visuais da personagem. Ou uma playlist com as músicas que sabe que ela gosta. Enfim, fica à vontade para mobilizar os recursos aos quais tem acesso para criar.

Descreva seu personagem com uma frase ou palavra. Pode ser um ditado popular, um trecho de uma música, um adjetivo, um bordão…

Como usei a ficha de personagem

Criei as fichas de personagens depois que já havia escrito a primeira versão do livro. Recebi a dica sobre essa ferramenta da escritora Fabiana Ferraz.

Usei meu caderno de anotações para criar as fichas, pesquisei alguns modelos na internet e montei um modelo básico para usar.

Fiz cada ficha à mão e isso demandou tempo.

Todo dia fazia uma ou duas fichas e era comum ter períodos de reflexão sobre determinada personagem, questionamentos sobre as fontes de onde surgiu e também muitas dúvidas.

Fazer as fichas de personagem me ajudou a entender o que eu ainda não sabia sobre minhas personagens e pesquisar e refletir mais para esboçar seus traços.

Por isso, nesse processo de criação das fichas, revisitei referências e procurei entender o que havia de pulsante em cada indivíduo que construí.

Escrevi as descrições à lápis e cheguei a alterar várias delas durante a reescrita. E mesmo que o livro já esteja com a editora, sei que até a publicação algo ainda pode mudar.


Muito obrigada por ler até aqui. Conta para mim: Como tem sido sua experiência com a escrita?

Ah, e se você quiser uma ajuda para organizar a escrita de uma narrativa longa, como um romance ou novela, dá uma olhada nesse modelo gratuito que fiz no Trello.

Inclusive, tem um card específico para editar a ficha de personagem on-line, com checklist e tudo!

É gratuito e você pode copiar para usar no seu processo ou apenas se inspirar para criar seu plano de escrita.

Veja mais sobre escrita:
· Como criar uma personagem?
· Leitura Atenta: Um Pequeno Roteiro
· Como escrever? Graciliano Ramos responde