Ainda sobre os incômodos do universo literário

São mais de 6 anos de Livro&Café e outros tantos espreitando a literatura. Por muitas vezes me sinto como a criança que espia pelo buraco da fechadura o que os adultos estão fazendo. E se eu abrir a porta do quarto, o que posso ver tem a sua beleza, mas também mora o pedantismo da intelectualidade ou a autopromoção disfarçada de compromisso com a leitura. Portanto, estou aqui novamente falando sobre como está o meu olhar para esse universo que tanto amei participar. Será que amo hoje?


Amo, talvez, tudo o que veio a partir do Livro&Café e que está mais relacionado com a vida real. Os Clubes de Leitura presenciais, os convites para participar de feiras e as amizades que se estenderam nesses anos e anos produzindo conteúdo literário para a web. Veja, até escrever produzir conteúdo me causa um certo desconforto, pois há um distanciamento entre a literatura e o meu papel como leitora. Sou apenas uma leitora, apesar de.

Então, como que transformo essa minha paixão em ser uma leitora em algo que possa ser lido ou assistido sem o pedantismo da intelectualidade ou a autopromoção disfarçada de compromisso com a leitura? Como saímos dessa arapuca? Por fim, tudo parece o mesmo desespero de saber dos males de um sistema e mesmo assim não conseguir ficar livre dele.

O grande embate do meu ano. Nem consigo me preocupar com o combustível.




Francine Ramos

Criou o Livro&Café em 2011, é professora de Língua Portuguesa, adora ler e trabalhar com mediação de leitura. Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

4 Comments
  1. eu entendo q vc esteja trazendo isso pro seu contexto, mas a coisa do pedantismo da intelectualidade e a autopromoção são elementos atrelados a certas personalidades independente do contexto. Como estudante de medicina eu me deparo com isso diariamente. E no meio acadêmico!? Dá até nojo. Então não é um problema “do meio literário”, é só mais um dos problemas do ser humano.

    1. Sim, é o meu contexto da vida de blogueira literária e imagino que exista também em outros campos. Engraçado que com as pessoas que convivo na “vida real” esse pedantismo não existe, há calor humano, carinho e empatia. Agora, a internet exerce uma força misteriosa… :/

  2. Acabei de conhecer seu trabalho aqui. Achei espetacular.
    Simples, direto e profundo …

    Abraço

    P.S.. O site é lindão !

Leave a Reply

Your email address will not be published.