Os lugares de nossa autoestima

Esqueça o espelho! Aquele que reflete apenas o seu corpo!
Busque algo que reflita seu coração, sua alma! É aí que mora sua autoestima.
Não queira a capa de revista! Queira uma profissão que te permita ser quem você quiser. É aí que mora sua autoestima.
Esqueça os padrões! Construa o seu próprio e mude-o sempre que desejar! É aí que mora sua autoestima.
Busque qualquer coisa diferente do que te mandaram fazer! Autoestima é também auto-decisão!
Decida-se, prove-se, busque-se! Ninguém mesmo fará isso por você, apesar de palpitadores de plantão estarem em todos os lugares…

Mas e o espelho? Sim, o espelho como um medidor da sua beleza.
Mas o que é beleza? Quais são seus parâmetros, limites e possibilidades?
Bobagem! Não há limites! Não há ninguém capaz de te olhar com ternura além de você mesmo!

O filósofo Gilles Deleuze comentou certa vez sobre o charme da loucura e podemos pensar na autoestima sobre essa perspectiva: de ficar tão à vontade consigo mesmo que a alta autoestima transcenderá! Afinal, todos nós temos nossas loucuras, todos nós, em algum momento, podemos estar em situações que – aparentemente, perdemos o controle, mas, dentro de nós, a confiança está triunfando. A autoestima elevada mora nesse lugar.
Eu acredito nisso! As palavras de Gilles são:  “As pessoas só têm charme em sua loucura, eis o que é difícil de ser entendido. O verdadeiro charme das pessoas é aquele em que elas perdem as estribeiras, é quando elas não sabem muito bem em que ponto estão. Não que elas desmoronem, pois são pessoas que não desmoronam. Mas, se não captar aquela pequena raiz, o pequeno grão de loucura da pessoa, não se pode amá-la.”

Então, a busca da autoestima pode morar naqueles momentos em que você não está nem aí! Em que o seu lugar, a sua voz e tudo que está em sua volta não é mais importante que o seu conforto mental, social, espiritual! É claro que uma roupa nova, um cabelo bonito, um bom salário, pode até ajudar na sua autoconfiança, mas nada valerá mais a pena que buscar momentos de leveza mais profundos e intensos, como o famoso “foda-se”!

O melhor caminho, acredito, não é buscar a autoestima superficial e rápida embutida em uma bela selfie para as suas redes sociais. Quando o empoderamento vem por inteiro, você pode estar de pijama em sua casa, num sábado à noite e se sentindo a pessoa mais completa do mundo, porque simplesmente escolheu estar ali.

Por fim, então, autoestima é fazer escolhas por você e por mais ninguém!

Crônica lida no programa “Sunset”, da Rádio Ipanema, Sorocaba – SP, setembro de 2018.


Francine Ramos

Criou o Livro&Café em 2011, é professora de Língua Portuguesa, adora ler e trabalhar com mediação de leitura. Acredita que os livros podem mudar o mundo e ama Virginia Woolf.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.