A faixa manchada (Arthur C. Doyle): os pontos de vistas de um mesmo crime

Versão HQ

O conto A Faixa Manchada (ou A Faixa Malhada) foi publicado pela primeira vez em 1892 em uma revista da época. No original, The Speckled Band, a história é sobre uma jovem moça que, antes da morte, informa a irmã sobre uma misteriosa faixa manchada. Intrigada, a moça chamada Helen Stoner, contrata o famoso Sherlock Holmes para desvendar esse mistério.

Durante a história, vamos descobrir que as irmãs possuem uma boa fortuna deixada pela mãe morta. Também vamos conhecer detalhes sobre o dia em que Julia Stoner, a irmã de Helen, morreu. E, como todo caso do detetive mais famoso do mundo, a resolução contém detalhes precisos e lógicos, mas se tornam perceptíveis apenas depois da chegada do detetive.

Animais exóticos também fazem parte da narrativa e contemplam um momento importante para desvendar o mistério. Com certeza, em se tratando de mais um conto de detetive, A faixa manchada destaca-se pelas vozes da narrativa, pois dá a oportunidade do leitor conhecer pontos de vistas diferentes de uma mesma história. De um lado, temos a própria Helen relatando os fatos, de outro, o fiel companheiro John H. Watson.

Escrever uma resenha sobre um conto de mistério é um exercício constante para não estragar a surpresa, mas posso adiantar que o título desse conto é tão genial, porém, só é possível perceber após desvendar o crime.

O conto A faixa manchada está disponível em diversas coletâneas do autor:

As aventuras de Sherlock Holmes Vol. II (Editora Círculo do Livro)

A faixa malhada (versão em HQ)

Leia também: